[imprensalivre] A Labareda * Edição 121

———- Forwarded message ———-
From: Alexandre Carvalho <adcarva@gmail.com>

Subject: [imprensalivre] A Labareda * Edição 121
To: Reunião <chandon@yahoogroups.com>, 4naise@yahoogroups.com, alabareda@gmail.com, adcarva@usp.br
Cc: areuniana@yahoogroups.com, jornaleiro@yahoogroups.com, imprensalivre@yahoogroups.com, voxpress@yahoogroups.com

 
Ano II * Edição nº 121 * Domingo, 19/03/2006
SACRO IMPÉRIO DE REUNIÃO
 
Notícias
 

COMEÇA VOTAÇÃO DA MOÇÃO DE CONFIANÇA PARA PREMIER EM REUNIÃO

 
O Diretor-Presidente da APQ, Filipe Sales, abriu na tarde de ontem a votação da Moção de Confiança ao Premier do SAcro Império de Reunião.
 
A nova escolha começou 78 dias após o fim do mandato de Bernardo Alcalde (MICROSOC). Apesar do governo inativo de Alcalde o MICROSOC fará novamente o premier, desta vez com Charles Goldstein.
 
Em uma eleição atípica, onde dois partidos – Arena e PSD –  perderam o prazo para inscrição na eleição, Pigd, Microsoc e Pacso ficaram com 4 cadeiras cada (antes eram 10 cadeiras).
 
A já tradicional aliança Pacso-Microsoc pode garantir a Goldstein pelo menos 8 votos, confirmando seu nome como novo Premier de Reunião.
 
Na convocação enviada aos Qualícatos não há indicação do término da votação, devendo do Diretor-Presidente aguardar até que todos votem.
 
JUSTIÇA EMPERRA FUSÃO PIGD-PSD
 
O Desembargaodor Imperial, Dr. Igor Alexandre, intimou os partidos PIGD e PSD acerca do pedido de fusão entre os dois partidos.
 
Para o desembargador o "manifesto" da nova fusão é o mesmo usado para a fusão com a UNIDA, entretanto, subentende-se que o DI 076/2004  – da nova lei eleitoral – exigiria um novo manifesto.
 
Alexandre exige ainda u a lista completa com os integrantes do novo partido.
 
IMPERADOR CLAUDIO I DECRETA REGÊNCIA DE 30 DIAS
 
O Imperador Claudio I decretou na última quinta-feira regência de 30 dias.
 
Cláudio I nomeou o atual Lorde Protetor, Filipe Oliveira, como Imperador Regente.
 
A regência acontece num período delicado, quando o ECIE debate questões referentes ao "desbanimento".
 
Apesar disso, acredita-se que o período de regência seja tranquilo, principalmente porque as atenções estarão votadas à posse do novo premier.
 
ALEXANDRE CARVALHO ASSUME O CARGO DE LORDE PROTETOR DO IMPÉRIO
 
Depois de um longo tempo afastado do poder moderador, Alexandre Carvalho reaparece assumindo o cargo de Lorde Protetor do Império, em caráter pró-tempore.
 
Carvalho deixou a maioria dos cargos logo após deixar a Chancelaria Imperial, para assumir o controle das empresas que constituem atualmente as Organizações Labareda.
 
O ex-chanceler, que também foi premier, deverá ficar no cargo por 30 dias, tempo da regência decretada por Cláudio I.
 
Procurado por nossa reportagem, o Lorde Protetor pró-tempore alegou agenda cheia e não falou com nossa reportagem.
 
Entrevista
 
O periódico A Labareda entrevista o Barão de Dom Bosco, Charles Goldstein, que enfrenta essa semana moção de confiança para ser alçando ao cargo de Premier do SAcro Império de Reunião.
 
A Labareda: Quais as expectativas para os próximos 4 meses?
 
Charles Goldstein: Reunião passa por um momento único em sua história. Momento de renovação tanto em sua estrutura física, quanto em alguns aspectos do modelo político imperial. Recentemente foi concedido aos delegados do Povo o poder de modificar a Sagrada Constituição Imperial, dando, deste modo, máxima importância à Câmara Baixa. Isto demonstra o progressismo existente em Reunião, e que, grande parte de sua população não está avesso a mudanças que se fazem necessárias pela própria transformação da realidade política. Ademais, o vanguardismo do Alvorada é ponto chave na transformação social e será foco governamental, com sua institucionalização.

 
O momento atual corrobora para a união dos diversos Partidos em prol de uma causa singular: o avanço do Império. Não quero falar de Governo de Coalizão Nacional como o clichê que todos os recém-empossados usam. Quero fazê-lo de fato, sem propagandear.
 
AL: O governo de Alcalde, também do Microsoc, foi um pouco inativo. As coisas agora serão diferentes?
 
CG: Um grande problema que vejo em Reunião é a centralização de todo governo nas mãos do Premiê. Isto é um contra-senso dentro de um sistema parlamentarista. Diferentemente da "monarquia eletiva" que é o Presidencialismo, o Parlamentarismo traz a idéia de responsabilidade coletiva e de efetividade em cada uma dos branches do Governo, sem a personoficação de um "salvador da pátria". Cada ramo governamental cuidando do que lhe diz respeito. Ter pessoas de competência e experiência no Governo é importante para que cada área funcione de forma semi-independente. Consoantes, mas não dependentes.
 
AL: Mais uma vez o "triangulo das bermudas" (imigração-integração-interior) será objeto de forte crítica por conta da oposição. Alguma solução para estes setores tão importantes e ao mesmo abandonados nas duas últimas gestões.

 
CG: O triângulo é sempre ponto essencial em qualquer governo, com especial ênfase à integração, que sempre foi de difícil implementação. Como já citado, é importante pessoas que já tenham experiência micronacional para efetividade dessas áreas. Nesse sentido, teremos como responsáveis grandes micronacionalistas, que, sabendo das dificuldades enfretadas, já pensaram em soluções viáveis. Terá especial destaque a atuação conjunta da Integração com o Desenvolvimento Social  – este, que será responsável pela implementação governamental do Alvorada.
 
AL: Algo em especial para a Integração?
 
CG: A Integração é sempre o mais hercúleo de todos os ramos do Governo. Trabalharemos em conjunto à Juventude Reuniã e, no famoso boca-a-boca necessário à Integração. O método mais efetivo é o apadrinhamento, com a delegação de responsáveis pela inserção dos novatos à Sociedade e pela tutela, ganhando sua confiança e tirando suas dúvidas.
AL: Muitos novatos ficam a margem da sociedade reunião. Há planos de seu governo para buscar capacitar e empregar esses novos súditos? 

 
CG: Estes novatos ficam à margem por uma falta de assistência e por não entenderem a essência do micronacionalismo. Empregos existem em todas as esferas da administração, seja imperial, capitanial ou nos burgos. Estando a Imigração funcionando corretamente, por conseguinte a inserção e lotação destes novatos nestes cargos se dará naturalmente. A tutela supracitada os ajudará a encontrar estes cargos.

 
AL: Acha que a eleição para premier perdeu importância com a nova forma?

 
CG: De forma alguma. O parlamentarismo clássico é um modelo progressista para Reunião. Dá importância ao Legislativo Popular, verdadeiro representante da Sociedade e coloca o Premiê como condutor do Governo. O novo modelo obriga um Governo a ser efetivo e, o sendo, o dá estímulo para continuar fazendo.
 

 
Expediente
Editor-Responsável: Alexandre Carvalho
A Labareda é uma publicação do Grupo IIRDE
Fundado em 06/08/2004

 
 
 
 

 
 

Imprensa Livre, por uma imprensa livre!

Boicotem os censores!

SPONSORED LINKS
Lista


YAHOO! GROUPS LINKS



[imprensalivre] A Labareda * Edição 120

———- Forwarded message ———-
From: Alexandre Carvalho <adcarva@gmail.com>

Subject: [imprensalivre] A Labareda * Edição 120
To: chandon@yahoogrupos.com.br, 4naise@yahoogroups.com, alabareda@gmail.com, adcarva@usp.br
Cc: areuniana@yahoogroups.com, jornaleiro@yahoogroups.com, voxpress@yahoogroups.com, imprensalivre@yahoogroups.com

 
Ano II * Edição nº 120 * Segunda-Feira, 13/03/2006
SACRO IMPÉRIO DE REUNIÃO
 
Editorial
 

O QUE HÁ POR TRÁS DE UMA ENTREVISTA

 
Ontem publiquei uma entrevista com Luiz Monteiro de Porto Claro e passei o dia inteiro recebendo críticas por não abordar a questão do embargo a Reunião.
 
Na verdade o erro foi meu ao apresentar Monteiro como o Chanceler de Porto Claro, pois na verdade eu queria entrevistar o candidato ao Senado. Tanto que comentei com ele por email que não gostaria que ele falasse sobre o embargo e que versasse apenas sobre as eleições de PC (eu não pedi pelo amor de Deus). É importante destacar que talvez PC seja o único país a cumprir rigorosamente o calendário eleitoral e isso deve ser aplaudido, acima de tudo, por um micronacionalista.
 
Entretanto, as críticas foram exatamente pelo fato de não abordar o tema do embargo. Então faremos agora: A partir desta edição deixarei um espaço vago na primeira página para que um cidadão de Porto Claro ou um micronacionalista de QUALQUER nacionalidade venha elencar os inúmeros benefícios alcançados pelo embargo a Reunião.
 
"Ouvir" dizer inclusive que na lista de PC o sr. Luiz Monteiro, que por muitas vezes discutimos, mas nunca fiz pouco caso, tanto que essa é a segunda entrevista que faço com ele em pouco mais de um mês, andou dizendo que eu perdi a crebilidade por não querer abordar o tema do embargo. Verdadeiramente eu pedi que não tocasse no assunto, pois queria falar sobre as eleições.
 
Pois bem, vamos ver quem é que tem problemas com credibilidade:
 
1) Quem é que sob inúmeras denúncias de corrupção, segundo a oposição, ficou fazendo marchinha de carnaval enquanto o executivo afundava na lama?
 
2) Quem é que tem a capacidade de pensar que eu estou marcando bobeira em não pedir o visto de trabalho para Porto Claro, já que o mesmo agora foi liberado, e que não entendem porque eu ainda não pedi. Pois podem ficar imaginando, mas imaginem sentados para não cansar.
 
3) Quem é que vendo uma determinada micronação em dificuldades conclamou seus pares para visitar a mesma afim que querer, quem sabe, anexar a moribunda e depois ficou dizendo em lista da referida micronação que era um desrespeito à soberania imaginar tal coisa. Este mesmo jornalista que "vem perdendo a credibilidade" está nesta mesma micronação, oferecendo qualquer ajuda que for possível  e necessária, inclusive convidará um ex-súdito a voltar ao convívio e ajudar de alguma forma.
 
4) Quem é que está usando uma agonizante OMU para tentar sustentar um embargo que até agora só serviu para desestabilizar os estados-membros (leia-se PC e RUPA) enquanto Reunião continua do mesmo jeito. Talvez se comprássemos carne e petroleo desses países poderíamos estar sofrendo alguma coisa.
 
5) Essa mesma organização, agoniza, não recebe mais paises-membros, nem sequer terminaram uma interminável carta de propósitos (sem propósitos não é possível mesmo terminar nada), e também não permite que jornalistas assistam os "acalorados" debates. A MICROCON também rasteja e pouco produz, a diferença é que as listas da MICROCON são abertas para quem quiser ler e tem UM JORNALISTA PORTOCLARENSE inscrito na lista podendo perceber que estamos agonizando também… a diferença é que não nos escondemos na clandestinidade.
 
6) Quem é que tem a lista fechada e não abre de jeito nenhum para mostrar o que se passa lá dentro? Segundo um portoclarense, a situação atual é a seguinte: "você deveria dar uma passadinha em PC e ler a LN pra ver a vergonheira…" Se houver alguma vergonheira em Reunião, todos poderão ler. Visite Chandon.
 
7) Falando em credibilidade, quem que ofereceu ajuda para que o Principado de Sofia "se entendesse" com a Normandia??? Como disse um colega de profissão: "Antes de falar da bagunça do quarto da sua irmã, comece por arrumar o seu".
 
8) Quem é que a meses vem mantendo-se ativo por conta do embargo a Reunião e que só hoje foram inúmeras mensagens sobre a entrevista do "desacreditado" editor do A Labareda.
 
9) E para não dizer que o problema situa-se entre RE x PC, um ex-cidadão de RUPA classificou Porto Claro como o maior engodo do micronacionalismo.
 
Ter que aturar a empafia Reunião é uma coisa, agora ter que aturar a bazófia, a patacoada, a pesporrência e a pimponice de Porto Claro, só mesmo usando uma frase feita: "ninguém merece!!!".
 
Notícias
 
Espaço reservado para que qualquer portoclarense ou cidadão de qualquer micronação possa elencar os inúmeros benefícios alcançados pelo embargo a Reunião. Números de linhas ilimitado, sem censura nem cortes. Isso é democracia!
 
LUIZ, ENCAMINHA ESSA PARA A LISTA TAMBÉM ,PELO QUE PUDE PERCEBER, A ATIVIDADE É GARANTIDA!
 
 

Expediente
Editor-Responsável: Alexandre Carvalho
A Labareda é uma publicação do Grupo IIRDE
Fundado em 06/08/2004

Imprensa Livre, por uma imprensa livre!

Boicotem os censores!

SPONSORED LINKS
Lista


YAHOO! GROUPS LINKS



[Chandon – Jubileu de Ouro] A Labareda * Edição 119

———- Forwarded message ———-
From: Alexandre Carvalho <adcarva@gmail.com>

Subject: [Chandon – Jubileu de Ouro] A Labareda * Edição 119
To: chandon@yahoogrupos.com.br, 4naise@yahoogroups.com, areuniana@yahoogroups.com, imprensalivre@yahoogroups.com, voxpress@yahoogroups.com, jornaleiro@yahoogroups.com
Cc: alabareda@gmail.com, adcarva@usp.br

 
Ano II * Edição nº 119 * Domingo, 12/03/2006
SACRO IMPÉRIO DE REUNIÃO
 
Editorial
 

POBREZA MICRONACIONAL

 
Hoje quero falar um pouco do tenho visto nessas minhas andanças e também de testemunhos de micronacioanalistas, pois como jornalistas tenho conversado bastante e parece que alguns gostam bastante de conversar.
 
Lamentavelmente tenho visto a disseminação da pobreza micronacional. Isso só é possível quando saímos de nosso círculo e rodamos o micromundo a procura de projetos de interesse e de desenvolvimento, ou mesmo tentar manter uma regularidade nas instituições e demais organismos micronacionais.
 
Vamos culpar a fragmentação? Sim, tem uma parcela de culpa, mas também é impossível não perceber a grande diversidade que há em nosso meio, justificando em parte o aparecimento e desaparecimento de micronações.
 
Prazos nunca cumpridos, leis esquecidas, falta de lei, sistemas econômicos inconcebíveis, ditaduras democráticas, projetos demagógicos, instituições falidas, cúpulas fracassadas, ingenuidade diplomática, fantasmas alucinados, egos inflados, jogo político "de várzea", falácias, falácias, falácias.
 
Seria o fim do tempos micronacional ou os preparativos para um recomeço.
 
Notícias
 

PERIÓDICO A LABAREDA FAZENDO HISTÓRIA NO MICRONACIONALISMO

 
O Periódico A Labareda, do Grupo IIRDE foi notícia na principal Agência de Notícias micronacional, a ARN (www.reuniao.org/arn).
 
No domingo passado, além do tradicional A Labareda, foram distribuidos simultaneamente La Fiammata (Siena), La Fusée (Sofia), La Llamarada (Ludônia) e Ton Pyr (Pathros).
 
Para Filipe Oliveira, da ARN, é a primeira que um periódico micronacional consegue essa façanha.
 
Oliveira destacou principalmente o fato de nenhum dos periódicos apresentarem notícias repetidas.
 
EMBARGO PROVOCA CRISE TAMBÉM EM RUPA
 
O embargo movido contra Reunião continua causando crises para os participantes do embargo.
 
Historicamente, o país embargado sofre terrivelmente com o ato, passando por grandes dificuldades, mas no caso deste embargo, que pode ser considerado o maior engodo micronacional da história, os países "embargantes" estão sofrendo mais que o embarcado.
 
Primeiro foi Porto Claro com uma terrível crise política, que só foi contornada graças a corrupção praticada pelo poder executivo e a certeza de impunidade demnostrada que logo tratou de desanimar os proponentes das ações na justiça (quase parecido com o Brasil).
 
Agora, foi o Reino Unido de Portugal e Algarves que por muito pouco não sucumbiu ao embargo (não, não são eles os embargados).
 
Uma discussão memorável entre o Rei e o Premier por muito pouco não terminou na renúncia deste último. A renúncia aconteceu, mas a regente Samantha Halliwell, por motivos que não iremos divulgar, recusou-se a aceitar a renúncia do Premier.
 
O ponto máximo da discussão foi quando o Rei disse que a preocupação maior do Premier deveria ser com "aquele estúpido referendum que ordenou a expulsão de cidadãos estrangeiros".
 
Segundo o Rei, o plebiscito, que acabou por terminar com a decisão de expulsar os cidadãos de reunião da lista de RUPA "manchou nosso legado e nossos valores".
 
O mais difícil na verdade, foi explicar ao portugueses que qual seria o significado de expulsar alguém da lista já que a mesma é aberta a consulta de qualquer um? Ou vocês acham que eu fiquei sabendo de tudo como?
 
Depois a discussão descambou para outros assuntos, certamente para querer confundir a cabeça dos cidadãos de RUPA, que culminou com a renúncia do Premier, inclusive se descadastrando de várias e inúmeras ameaças de deixar o país, ou pelo menos esconder-se na inatividade.
 
Pressionado, o Rei voltou atrás, se desculpou com o Premier e tudo voltou a ser como era antes no Reino de Portugal.
 
Os fatos podem ser acompanhados em ordem cronológica, a partir da seguinte mensagem, acessada através do link abaixo:
 
 
PIGD COMPRA PSD. PREÇO? 01 CADEIRA NA APQ
 
O PSD vendeu-se ao PIGD na semana passada ao custo de uma cadeira na APQ.
 
Valadir Aerwyld deverá ser o qualícato psdesista a ocupar a cadeira "adquirida" na transação.
 
Com isso, o cenário político em Reunião fica mais interessante para a próxima eleição. De um lado, o novo PIGD (PIGD/UNIDA/PSD), do outro a tradicional aliança PACSO/MICROSOC.
 
A ARENA, tradicionalmente de direita deverá se aliar ao PIGD, mas o "manda-chuva" do partido descarta a fusão.
 
Para Alexandre Carvalho, o PIGD terá que convencer que a aliança será boa para ambos os partidos, sob pena de a direita nunca mais voltar ao poder.
 
Ainda segundo Carvalho, a eleição recentem demonstra que a irresponsabilidade política em Reunião atrasa o crescimento verdadeiro do país, "pois como é possível um partido vegetativo como o PIGD e os partidos PACSO e MICROSOC que apresentaram dois péssimos governos (os dois últimos) serem tão bem votados nas eleições?".
 
Carvalho recusou-se a aceitar que sua candidatura ao magistral fosse de protesto. "Onde já se viu querer ser premier e querer protestar". "Protesto deveriam ser feitos pelo eterno desrespeito a lei em Reunião", finalizou Carvalho.
 
Assessores do político arenista não confirmaram mas há indícios que ele poderia deixar definitivamente a política. Segundo um assessor mais próximo, que não quis se identificar, "o Carvalho está bestificando com o que está acontecendo em Reunião e profundamente incomodado com os rumos da nação". 
 
ESCOLHA DOS PREMIADOS PARA O JORNAL O LEPORTENSE TERMINA AMANHÃ
 
A votação que escolherá os premiados do jornalismo, oferecido pelo jornal O Leportense deverá encerrar-se nesta segunda-feira, 13.
 
Até o momento 86 votos já foram dados aos periódicos reuniãos com destaque para O Cometa (18%), Agência Reuniana de Notícias (13%), A Labareda (12%) e O Cordel (11%).
 
Segundo o editor do jornal O Leportense, será oferecido prêmio para os três primeiros colocados.
 
Se você é reunião e ainda não votou, não perca tempo e participe da escolha.
 
 
Entrevista
 
A Labareda entrevista hoje o portoclarense Luiz Monteiro. Atual chanceler de Porto Claro, Monteiro tenta uma vaga no senado nas eleições que acontecem até o próximo dia 14.
 
A Labareda: Qual sua expectativa para as próximas eleições?

Luiz Monteiro: A expectativa que tenho é a vitória, com folga, de Sávio Erthal Moraes. Aliás, não tenho dúvidas que ele será o novo Presidente da República de Porto Claro. Isto mostrará que o Portoclarense quer mudar, prefere se arriscar, a ter por muito tempo um mesmo padrão governamental. Isto é democracia pura. Entretanto, se este governo que vem falhar em sua tentativa de mudança de ares do cotidiano portoclarense ou se simplesmente se mostrar mais ineficiente do que o último governo, estaremos dando um passo para a radicalização no pensamento de mudança;
 
O que quero dizer? Sávio Erthal Moraes, embora venha emplacando uma plataforma de mudança, de renovação, não passa de um velho conhecido e experiente político. Já foi presidente uma vez, sempre circulou na esfera do poder ou da oposição, não representa genuinamente nada de novo. Se ele falhar, alçaremos Porto Claro em um terreno fértil e propício para mudanças a qualquer custo, do tipo, "chega de tudo isso". Quem ganha com isso são os ultrajovens cidadãos de agora e aqueles que estariam entrando e se destacando nos proximos seis meses, com visões de mudança radical nas estruturas do poder.
 
Se, de um lado, podemos dizer que efetivamente este tipo de quadro, então, representaria uma verdadeira mudança, fortalecendo a democracia, não deixo de temer pelas mudanças repentinas e drásticas. Torço para que o governo de Sávio seja um bom governo.

AL: O PSDN está encerrando um governo muito criticado pela oposição, mas por fim nada foi provado. Isso fortalece o partido?

LM: Na verdade este governo nem foi muito criticado pela oposição não. Na verdade, se prestarmos bem atenção na história dos últimos 4 mandatos executivos, veremos que este governo aliás foi muito pouco criticado. Acredito que isso se deva a um esforço descomunal feito pelos Ministros de Estado nos primeiros 3 meses e se deve ainda a um amadurecimento na atuação política de importantes cidadãos de Porto Claro, com a oposição dando espaço para o governo e até ajudando este a manter o país.
 
O que de fato ocorreu, em termos de críticas, foi a pouca participação do Presidente da República em lista nacional. Embora presente nos bastidores e delegando ordens para um time de primeira linha no executivo, o povo sempre se ressente de um presidente ativo em lista nacional, sempre espera o seu líder. Outro ponto negativo e que de fato provocou muitas críticas foi o desempenho do Ministro do Desenvolvimento Populacional, Alexandre Ribeiro, que foi muito abaixo da média e a questão do Embargo Diplomático, que ao contrário do que se pensa, não gerou tantos protestos da população, que em sua grande maioria é a favor. Mas serviu de plataforma política para uma pessoa que era ligada ao governo poder se descolar do mesmo e se apresentar como oposição. Nada além de muita gritaria estéril numa jogada política interna.
 
Se assim vermos, a grande crítica era um embuste político interno, como hoje temos confirmado. Neste ponto, tenho a dizer que o governo até que foi menos criticado, no geral, do que os anteriores. Me perguntando se o partido sai fortalecido por nada ter sido provado, tenho que dizer que sim. Sai fortalecido o governo que superou as críticas e se mostrou forte, sai fortalecido o partido que se uniu neste momento.

AL: Apesar disso, o PSDN resolveu não lançar candidato a presidência. Porque?
LM: Devemos analisar a série histórica da sucessão presidencial portoclarense e fatores intrapartidários. Antes do atual governo tivemos dois governos do PDL e antes ainda do PDL, tivemos dois governos do PSDN, com o mesmo presidente Ricardo Jr. No começo desta análise histórica, depois de governarmos um ano inteiro, chegamos a conclusão que já estávamos tempo de mais no poder, implementamos nosso plano de governo mas ele se exauriu e estar no governo o tempo todo não permite que o partido renove suas idéias e por vezes veja com clareza o que necessita ser feito. É difícil acompanhar, no governo portoclarense, a  mutação da sociedade.
 
Então decidimos ficar por dois mandatos fora da disputa presidencial. Sequer concorremos, para avaliar a condição do país e nossa condição. Já no ultimo governo do PDL, tínhamos exata noção do que poderia ser feito de diferente. Aquele mandato em especial do PDL foi muito ruim o que nos empurrou para a oposição de forma muito contundente. Sabedores do que poderíamos fazer de melhor e ainda numa oposição tão ferrenha, nascia uma obrigação de tentar mudar. Ricardo Jr. se apresentou com vontade de fazê-lo e disputamos as eleições e ganhamos.
 
Entretanto, agora, retiramos o país do marasmo interno em que ele se encontrava, hoje se tem uma atividade interna pujante, altamente politizada, onde se discute a base da formação de nossa sociedade e o nosso contrato social a todo momento é posto em xeque. Trouxemos a política novamente para o centro das discussões nacionais. Com exceção a parte de tratamento de cidadãos recém chegados, o governo tem todas as suas áreas ativas e funcionando muito bem. É hora de entregar toda esta estrutura a quem possa melhorá-la e fazer diferente. Aliado a isso temos uma condição interna onde nenhum partidário quer ser o presidente, o que é normal. Afinal, após se dedicar com tanto afinco e por tantas horas diárias a presidência e a ministérios, o cidadão quer descansar um pouco e tocar projetos pessoais. Por estes motivos o PSDN não se lançou para uma reeleição.

AL: São três os candidatos pelo partido ao Senado. É possível conseguir as três vagas?
LM: Não tenho a menor dúvida que sim. A qualidade técnica apresentada por mim na elaboração de leis, a insuperável experiência e bom senso de Francisco Russo aliada a juventude ousada e sedenta por mudanças de Armando de Kergaz não apenas avaliza nossa candidatura como nos transforma em candidatos que poderão chegar ao ápice de sua criação e atividade juntos.
 
Por outro lado, encontro-me numa posição muito difícil. Desde que cheguei em Porto Claro, em 1998, sempre quis ser juiz. Sempre foi o meu sonho, e hoje, com a vida profissional estabelecida na área do direito, me vejo com muita capacidade de ocupar este lugar. Ainda mais frente aos perigos que rondam a Suprema Corte de meu país com a inscrição de uma pessoa como JP Real, que em minha visão, apesar de relativa qualidade técnica, não apresenta requisitos morais para tanto. Então fico num dilema, vou para o senado, onde gosto de atuar, onde sei que posso ajudar, onde já fiz ou ajudei na redação de pelo menos 4 leis importantes (Penal, Processual, Organização Judiciária, Anistia), ou devo seguir o meu sonho de ser juiz e, se puder, passar no concurso na frente de João Paulo Real e livrar nosso judiciário de uma pessoa tão controversa?
 
Decidi que esta decisão não cabe a mim tomar, mas sim à sociedade Portoclarense. Embora seja candidato ao senado, não fiz nenhuma propaganda. Se votarem em mim e eu ganhar uma cadeira no senado, é porque devo ir para o senado. Mas se ao contrário, não votarem em mim e eu apenas ganhar uma cadeira no senado em vista do coeficiente partidário, então irei para a Suprema Corte de Justiça.

AL: O PSDN será oposição ao próximo governo ou apoiará um dos nomes?

LM: O PSDN está neutro e deixou a livre consciência de seus partidários para ajudar o governo. Mas pelo que posso prever, tendo em vista a promessa de campanha de Sávio Erthal de não acumular cargos de primeiro escalão de nenhum dos poderes, posso dizer o seguinte no que tange o PSDN: Francisco Russo não permanecerá no governo, pois certamente será senador. A mesma coisa com Armando de Kergaz. Eu não permanecerei no governo, pois ou serei senador ou juiz. Mitchel Bruno já se disse sem tempo por motivos de vestibular, assim como o Ricardo Jr. por motivos de concursos públicos. Da mesma forma segue Luiz Felipe, que está com pouco tempo, sobrando então Fabiano Pereira, que pode ser o único nome do PSDN no governo. Se ele for chamado, a escolha será apenas dele, sem interferência do partido.
 
No geral, se o governo for bem, nós aplaudiremos, se for mal, nós criticaremos. Sempre foi assim no PSDN, não temos porque fazer oposição obrigatória a ninguém.

AL: Porto Claro mantém as eleições ininterruptamente por vários anos. Como explicar esse grande e importante êxito?
LM: Amor pela democracia e amor por Porto Claro. Amamos tanto este país, mas amamos tanto este país, que esta é a única certeza que as vezes temos no campo político sobre nossos adversários. A mais ferrenha oposição trabalha não para desestruturar um governo ou para provocar uma ruptura institucional, embora isso possa acontecer sem controle, mas fazem isso por amor a Porto Claro, porque realmente existe o entendimento que se pode fazer melhor.
 
Este é o jogo democrático, todos batemos forte, o país vive numa gangorra instável de luta pelo poder, mas o fundamento disto não é o ego, mas sim o amor pelo país e a certeza que se pode fazer melhor. Tanto que, sob o risco de uma ruptura qualquer, um senso comum de respeito e amor afloresce e, ainda que as coisas não acalmem, as ações são tomadas com o maior cuidado para preservar o que nos fortalece: A democracia, a votação a cada seis meses.

AL: Há expectativa de grandes mudanças após as eleições?
LM: Sim, a expectativa é esta. A plataforma do governo vem para enxugar um pouco a máquina administrativa, toná-la mais eficiente. Só não sei como o Sávio vai fazer isto, porque como dito anteriormente, uma das promessas dele foi a não acumulação de cargos no governo com pessoas do primeiro escalão dos três poderes. Vai fazer o que? Botar gente com pouca experiência para fazer as coisas? Vai fazer tudo sozinho? Não sei, estamos no aguardo.

 
 
 
 

Expediente
Editor-Responsável: Alexandre Carvalho
A Labareda é uma publicação do Grupo IIRDE
Fundado em 06/08/2004

--------------------------------------------
SACRO IMPÉRIO DE REUNIÃO
100 MESES DE INDEPENDÊNCIA
Seja tudo o que você quer ser!
http://www.reuniao.org
--------------------------------------------
O C.H.A.N.D.O.N., Cadastro Hebdomadário
Actualizado e Notório do Departamento da
Ordem Nacional, é mantido pelo Ministério
do Interior, órgão do Poder Executivo, visite a pagina atualizada do Min. Interior -> http://www.reuniao.org/chandon/
---------------------------------------------------------------------------

Yahoo! Grupos, um serviço oferecido por:
PUBLICIDADE


Links do Yahoo! Grupos


[Chandon – Jubileu de Ouro] A Labareda * Edição 118

———- Forwarded message ———-
From: Alexandre Carvalho <adcarva@gmail.com>

Subject: [Chandon – Jubileu de Ouro] A Labareda * Edição 118
To: areuniana@yahoogroups.com, jornaleiro@yahoogroups.com, imprensalivre@yahoogroups.com, voxpress@yahoogroups.com
Cc: chandon@yahoogrupos.com.br, 4naise@yahoogroups.com, adcarva@usp.br, alabareda@gmail.com

 
Ano II * Edição nº 118 * Domingo, 05/03/2006
SACRO IMPÉRIO DE REUNIÃO
 
Editorial
 

APQ E SEU DILEMA

 
Assembléia Popular de Qualícatos, mais conhecida como APQ, é a Câmara baixa do legislativo reunião.
 
Vive de fazer leis populares, mas também de reclamar por mais respeito.
 
Diferentemente do ECIE, a APQ vive de crises de atividade, entretanto, a partir do governo arenista de Alexandre Carvalho, a APQ vem sendo mais exigida e muitas vezes não consegue terminar de votar os projetos apresentados, tanto por parte de qualícatos quanto dos enviados pelo Palácio Magistral.
 
A APQ agora entrará em uma nova fase, pois serão dois qualícatos a mais e 2 meses a menos.
 
Os novos qualícatos já terão que começar trabalhando, pois já há projetos para serem discutidos e votados.
 
Dentre eles, o polêmico projeto de lei da moralidade, proposta pela ONG MITO – Micronacionalismo para Todos – que propõe a revogação de 40 leis.
 
Obviamente que o projeto é inviável para Reunião, mas a forma como foi recebida pela legislatura atual, deu-nos a entender que pudesse, em algum momento, ser aprovada. Pelo menos a reação dos qualícatos foi essa.
 
A verdade é que nem o proponente acredita que seja aprovada e nem gostaria que fosse aprovada, a proposta seria um "puxão de orelha" nas autoridades constituídas em busca do cumprimento das leis, dentro das possibilidades atuais do país.
 
O presidente da ONG já afirmou em um coquetel oferecido em sua residência, no acolhedor burgo de Santa Rosa (Fournaise) que tão logo tome posse o novo diretor-presidente da APQ, entrará com o pedido de retirada da proposta. Entretanto, a ONG continuará participando ativamente da política, defendendo os interesses da sociedade civil organizada.
 

Notícias

 
IIRDE FARÁ PESQUISA PARA PERIÓDICO CONCORRENTE DO A LABAREDA
 
O IIRDE (Instituto Independente Reunião de Dados e Estatística), integrante do conglomerado controlador do A Labareda, fará pesquisa de opinião encomendada pelo jornal O Leportense, de Valadir Aerwyld.
 
O jornal da Capitania de Le Port oferecerá o Prêmio Leportense de Propaganda e Jornalismo.
 
Todos os periódicos e agências de notícias de Reunião participarão do prêmio.
 
A votação iniciará nesta segunda-feira, dia 06 e vai até o dia 16. Espera-se uma participação maior do que as tradicionais pesquisas organizadas pelo IIRDE.
 
TORNEIO EM COMEMORAÇÃO AO JUBILEU DE OURO FOI CANCELADO COM O FIM DO ESTADIUM
 
O torneio Jubileu de Ouro, organizado pela LRF e a empresa de marketing ortivo, ADC Management, que estava em vias de ser cancelado, não vai mais acontecer.
 
Os constantes "bugs" no sitema do Estadium botaram fim a simulação do futebol virtual.
 
Para que todos aqueles que acessarem o site do Estadium (www.estadium.cjb.net/futiba) encontrarão a seguinte mensagem.
 
Chega. Foi eterno enquanto durou.
Os tecnicos podem requisitar o historico de seus times pelo email rafaelfigueira@hotmail.com. Vou atender na medida do possivel e do tempo disponivel, como sempre.
[]s
Rafael Figueira
3-3-2006
 
QUALÍCATOS ELEITOS SÃO EMPOSSADOS
 
O Lorde Protetor do Império, Filipe Oliveira, empossou no último dia 02, os 12 qualícatos eleitos nas últimas eleições.
 
Apesar da vitória do Microsoc nas urnas, nenhum partido consegui maioria, ficando a primeira legislatura de 12 cadeiras, divididas entre Microsoc, Pacso e Pigd, com 4 cadeiras cada partido.
 
Psd e Arena perderam o prazo para registro de candidatos e ficaram de fora desta legislatura.
 
O Psd tentou na justiça a anulação do pleito, sem sucesso.
 
Alexandre Carvalho, da Arena, assumiu a responsabilidade da perda do prazo. Carvalho confessou que nem sequer leu a OGE das eleições.
 
As cadeiras foram distribuidas da seguinte maneira:
 
Microsoc
Qualícato #1 Fernando de Friedenburgo;
Qualícato #2 Rodrigo Mariano;
Qualícato #3 Fernando Sefuno;
Qualícata #4 Denise Lícia.                
       
PIGD
Qualícato #5 João Victor Guedes;
Qualícato #6 Rafael Kleinlein;
Qualícato #7 Michel Hulmann
Qualícato #8 Filipe Augusto Sales

PacSo
Qualícato #9 Danilo Greenspan; 
Qualícato #10 Laucimar Cunha;
Qualícato #11 Olympio Neto;
Qualícato #12 Marina Melillo.
 
A histórica parceria entre Pacso e Microsoc levará ao Magistral Charles Goldstein, substituíndo na última hora o candidato Fernando de Friedenburg.
 
O nome de Friedenburg não teria agradado a certos correligionários pacsistas, o que teria inviabilizado a candidatura de Friedenburg.
 
A posse de Goldstein ainda não está marcada.
 
 

Expediente
 
Editor-Responsável: Alexandre Carvalho
A Labareda é uma publicação do Grupo IIRDE
Fundado em 06/08/2004

 
 

--------------------------------------------
SACRO IMPÉRIO DE REUNIÃO
100 MESES DE INDEPENDÊNCIA
Seja tudo o que você quer ser!
http://www.reuniao.org
--------------------------------------------
O C.H.A.N.D.O.N., Cadastro Hebdomadário
Actualizado e Notório do Departamento da
Ordem Nacional, é mantido pelo Ministério
do Interior, órgão do Poder Executivo, visite a pagina atualizada do Min. Interior -> http://www.reuniao.org/chandon/
---------------------------------------------------------------------------

Yahoo! Grupos, um serviço oferecido por:
PUBLICIDADE


Links do Yahoo! Grupos


[imprensalivre] A Labareda * Edição 117

———- Forwarded message ———-
From: Alexandre Carvalho <adcarva@gmail.com>

Subject: [imprensalivre] A Labareda * Edição 117
To: chandon@yahoogrupos.com.br, 4naise@yahoogroups.com, adcarva@usp.br, alabareda@gmail.com
Cc: areuniana@yahoogroups.com, imprensalivre@yahoogroups.com, jornaleiro@yahoogroups.com, voxpress@yahoogroups.com

 
Ano II * Edição nº 117 * Sexta-Feira, 03/03/2006
SACRO IMPÉRIO DE REUNIÃO
 
Hoje no A Labareda:
– Editorial: *Democracia? Hoje, só amanhã
-Noticias(da ARN, de Filipe Oliveira): * Notícia repetida?, sobre a nova proposta de "desbanimento".
* Dinheiro Circulando em Portugal
Sofia terá segundo turno
Notas, por André Giserman
 
EDITORIAL
 

DEMOCRACIA? HOJE, SÓ AMANHÃ!

 
Há muito fala-se em democracia, representatividade do povo, etc ,etc. Mas e quando o povo escolhe alguém que escolhe alguém que o povo não quer, pelo menos não no momento.
 
Será assim a próxima eleição para premier de Reunião, ou pelo menos seria. O comparecimento de mais de 60 pessoas as urnas em Reunião faz inveja para praticamente todas as micronações, consolidando Reunião como a terra das oportunidades. Mas isso não confere ao povo representatividade. Sobraria então a confiança de que o partido indicaria alguém capacitado para a dura tarefa de sentar na cadeira mais importante do Palácio Magistral.
 
Pela pesquisa realizada pelo IIRDE, nem Adamatti nem Friedenburg deveriam ocupar o Magistral. Com a desistência de Friedenburg, eis que surge Goldstein, presidente do ECIE.
 
Goldstein apareceu pela primeira vez sendo alçado ao cargo de Secretário do então Chanceler Alexandre Carvalho, fato que rendeu a Carvalho grandes elogios por descobrir e dar oportunidades a novos micronacionalistas.
 
De lá pra cá Goldstein vem fazendo excelente papel, mas até então não havia sido citado em grandes rodas de conversas para ocupar o Magistral. Este editor confessa que, recentemente, conversando com um funcionário do alto escalão do Palácio Imperial, saboreando uma porção de dodô a passarinho, numa adega de Saint Denis, cogitou-se o nome de Goldstein.
 
Com a nova forma de eleição para Premier, poderia-se muito bem evitar a perda de tempo em realizar eleição por voto. Goldstein tem a maioria do parlamento e será o novo Premier de Reunião. Parabéns!!!
 

Notícias

Da Agência Reuniana de Noticias – ARN
 
Notícia repetida?
 
O Imperador de Reunião em pessoa encaminhou hoje ao Conselho Imperial um projeto que revoga os banimentos aprovados pelos próprios conselheiros, em outubro de 2005.

Na época, foram banidos do país e considerados "personas non gratas" Marcelus São Sabbas, Luiz Saboya e Felipe Santarelli. Com o banimento, nenhum dos três pode voltarr a ser cidadão ou mesmo ser turista em solo reunião.

Sabbas e Santarelli foram punidos pelo ECIE em razão do anúncio de que se tornaram soberanos de regiões ligadas à Reunião, respectivamente Sayed e Mariana, partes da Confederação dos Reinos Unidos – CRU.

Posteriormente Santarelli anunciou que seu país se chamaria Reino de Santa Mariana, para distingui-lo do Vice-Reino de Mariana, parte integrante do Império.

Sabbas, contudo, sequer "maquiou" seu ato, mantendo o nome Sayed indevidamente, já que em Reunião ostentava o título de Grão-Duque justamente por ter aceito incorporação de seu micropaís à Reunião.

Já Saboya foi incluído no banimento por ter se declarado soberano de Ludônia (ex-integrante da CRU e hoje reino autônomo) antes de renunciar à cidadania reuniã.

O caro leitor está com a impressão de já ter lido isso antes? A impressão é real, publicamos a notícia acima no dia 10 de janeiro. Mas é verdade, o Imperador de Reunião enviou novamente o mesmo projeto ao ECIE.

 
Dinheiro circulando em Portugal
 
RUPA pôs ontem em prática seu projeto de economia micronaconal com circulação de moeda.

Foram abertas as primeiras contas bancárias dos cidadãos, sendo o dinheiro (denominado de réis)colocado em circulação, com as transferências sendo inteiramente eletrônicas. Cada cidadão receberá, no primeiro mês de funcionamento, um valor mínimo para pôr em andamento a economia, equivalente a 16 réis.

Só com o tempo será possível avaliar se o projeto português conseguirá inovar, fugindo do estigma de absolutamente virtual que os sistemas similares até então receberam.

 
Sofia terá 2º turno
 
Apurados os votos em Sofia, nenhum dos 3 candidatos a Primeiro-Ministro obteve ao menos 50% dos votos válidos. Nesse caso, como previsto na lei eleitoral, haverá segundo turno entre os dois mais votados.

Confira o resultado da votação:

Ricardo Ribeiro (PLS) – 9 votos
Rafael Luft (PPS) – 7 votos
Aurea Allegra (PI) – 6 votos
Branco – 1 voto
Nulo – 2 votos

Total de Votos: 25

O segundo colocado, Rafael Luft, desistiu de participar do segundo turno, dando lugar à Áuera Allegra. A nova votação começa no domingo, dia 5/3, prosseguindo até o dia 7/3.

 

Notas
ANDRÉ GISERMAN
 
INVASÃO DE PRIVACIDADE
 
Uma das diversões de nosso Imperador, figura excêntrica sempre presente nesta coluna, é pesquisar sobre a vida pessoal de seus súditos. De um prócere, por exemplo, descobriu o nome real em uma página abandonada. Assim, viu que há anos ele é indicado, na qualidade de representante dos trabalhadores, para um importante Conselho do Governo Federal, responsável por julgamento de recursos administrativos que envolvem altas somas.
 
INVASÃO DE PRIVACIDADE 2
 
Se o Imperador em pessoa começou, a coluna foi atrás e descobriu que o nome não é a única característica que este cidadão, muito reservado sobre sua vida pessoal, omite. Provavelmente, ele faz isso para que não vasculhem e acabem revelando as suas relações familiares. Afinal, é um dos quatro filhos de Neide Silva Mossri – irmã do companheiro José Dirceu – com o jornalista, falecido recentemente, Flamarion Mossri.
 
INVASÃO DE PRIVACIDADE 3
 
Engana-se quem pensa que Dirceu era a única figura ilustre da família. Flamarion, consta, usou sua influência quando da ditadura para proteger alguns colegas e políticos de esquerda – entre eles, com a ajuda de Mário Covas, o seu cunhado famoso. O jornalista, homenageado pelo Senado brasileiro, acumulou tantos conhecimentos que Tancredo Neves brincava que com um simples telefonema conseguiu o que ele, Tancredo, nunca foi capaz: incluir a sua cidade – Passa Quatro – entre aquelas que ilustravam os bilhetes da Loteria Federal. São João Del Rey, do presidente, nunca entrou.
 
INFLAÇÃO
 
Cláudio, que muitos dizem ser um Churchill abstêmio, garante que está gastando mundos e fundos na nova página reuniã. Até pela tradução profissional e pela digitalização das reportagens ele estaria pagando, com a ajuda de Carlos Fraga. Se tudo for verdade, caramba, quanto vão passar a custar as benditas bandeirinhas?!
 
FALANDO NELE…
 
O Imperador fez uma nova aquisição no Mercado Livre. É um ferrorama. Mas o melhor da história é a negociação. Confira: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-40447453–_JM. Vale a pena.
 
ÓRFÃOS
 
Com a volta de Luiz Azambuja, Rodrigo Rocha e Renan Saifal acabaram fora da lista do PSD, que foi trocada. Os dois agora passaram ao posto de ex-eminências pardas do partido. Isso, claro, se Aza tiver resistido ao Carnaval.
 
CENA REUNIÃ
 
Sexta, Copacabana, passando de meia-noite, o casal Marina Melillo e Jorge Adamatti chama um rádio-táxi. Também saídas do Belmonte, onde acabava um micronacional, cinco gatas se apropriam do táxi pedido. Dez minutos de discussão. Inútil, claro. Jorge, você achou mesmo que o taxista ia desprezar todas elas pra ficar com um casal no carro?!
 
MODERANDO
A decisão do Poder Moderador provavelmente definiu o futuro premier. Com a intervenção, considerando válida o pleito anulado pelo Desembargador, Charles Goldstein deverá ser o novo ocupante do Magistral. Nesse caso, o PSD, decisivo para fazer do Microsoc o partido mais votado, e que está soltando fogo pelas ventas com a mudança do candidato socialista (o acerto era pelo Fernando ex-Von Rainer), deverá fazer oposição. Ferrenha oposição.
 
MODERANDO 2
 
Por outro, se o Moderador não interviesse, os votos do PSD migrariam para o PIGD. Aí, ou Adamatti seria eleito ou seria fechado um acordo em prol de um outro candidato, como Alexandre Carvalho. Foi forte, dos dois lados, a pressão sobre o Imperador esses dias. A história de que tanto faz refazer ou não a eleição, todos sabiam, era balela.
 
 

Expediente
 
Editor-Responsável: Alexandre Carvalho
A Labareda é uma publicação do Grupo IIRDE
Fundado em 06/08/2004

 
 

 
 

Imprensa Livre, por uma imprensa livre!

Boicotem os censores!

SPONSORED LINKS
Lista


YAHOO! GROUPS LINKS



[Chandon – Jubileu de Ouro] A Labareda * Edição 116

———- Forwarded message ———-
From: Alexandre Carvalho <adcarva@gmail.com>

Subject: [Chandon – Jubileu de Ouro] A Labareda * Edição 116
To: Reunião <chandon@yahoogrupos.com.br>, 4naise@yahoogroups.com, adcarva@usp.br, alabareda@gmail.com
Cc: areuniana@yahoogroups.com, jornaleiro@yahoogroups.com, imprensalivre@yahoogroups.com, voxpress@yahoogrupos.com

 
Ano II * Edição nº 116 * Quarta-Feira, 01/03/2006
SACRO IMPÉRIO DE REUNIÃO
 
Hoje no A Labareda:
– Editorial: *O equívoco português
-Noticias: *Campeonato de futebol organizado pela LRF reancede futebol micronacional
* Pesquisa IIRDE mostra descontentamento da população com premiáveis
* Eleições em Porto Claro
Artigo: OMRU x Liberdade de Imprensa
 
EDITORIAL
 

O EQUÍVOCO PORTUGUÊS

 
Há algumas semanas o micro-mundo passou por algo nunca dantes, ataques terorristas, baderna em lista distribuidora de jornais, governantes enlouquecidos, e a maioria vivendo como se nada tivesse acontecido.
 
Tentando colocar em ordem cronológica, eis que surge um "grupo" denomidado Honra Imperial, com sítio e tudo e promovem ataques ao Premier português, Jorge Quinta-Nova. Os ataques são emails gigantescos denominados "bomb´s" que acabaram por bloquear a caixa de mensagem de Quinta-Nova. Rapidamente os ataques são atribuídos a Reunião, que nega e repudia o ataque. Estranhamente quase ninguém toma conhecimento desta missiva da Chancelaria Reuniã e os ataques verbais contra Reunião e seu Imperador ficam ferozes.
 
A OMU, que se diz ser uma organização intermicronacional, mas só foi criada por causa do advento da MICROCON, esta sim, organização pluralista, aberta a todos, inclusive jornalistas, declara embargo a Reunião por conta dos ataques contra o premier português e também por causa do domínio de nome porto claro pertencente a coroa reuniã, um calcanhar de aquiles para a República de Porto Claro.
 
Após o embargo, cidadãos são recusados em alguns países, na verdade, só em Porto Claro, porque na Normandia já é raro conseguir entrar, Em Sofia conseguimos até visto de trabalho, enquanto que em Portugal, fomos recebidos diversas vezes pelo Rei. Nos Açores também fomos muito bem recebidos por Dom Wagner Campodônio.
 
Quando o embargo parecia chegar ao fim, o grupo extremista (adoro essa palavra) Honra Imperial promoveu ataques na lista nacional de Portugal, levando o Premier Quinta-Nova a loucura, pregando morte ao reuniãos, "queimando" a bandeira reuniã em lista pública e exigindo a expulsão de cidadãos reuniãos de solo português. Importante lembrar que na ocasiãos dos ataques e como não poderia deixar de ser, reuniãos foram atingidos. Que eu saiba, apenas este que vos escreve e Filipe Oliveira, da ARN, estavam em solo português. Do Filipe não sei, mas tenho certeza que meu bunker (gmail) foi suficiente para conter os efeitos do tal ataque.
 
Portugal chegou ao cúmulo de promover plebiscito para saber se expulsava ou não os reuniãos. Nesse meio tempo, o visto de Oliveira terminou e não foi renovado. O meu, como era de trabalho, poderia ficar mas não nasci ontem, não ia esperar ser expulso da lista e possivelmente ser guardado como trofeu em algum gabinete português, resolvi sair. Uma pergunta que não quer calar: Pra que expulsar se a lista de RUPA é aberta? Nós fomos maltratados em Portugal, mas não perdemos a pose um minuto sequer, e apra grande surpresa o plebiscito terminou recentemente, a opção pela expulsão foi vencedora, mas o premier Jorge Quinta-Nova, grande entusiasta do "extermínio" de Reunião, votou contra a expulsão.
 
O embargo foi um fracasso, ao contrário do que pregam por ai. Portugal se perdeu pelo caminho e quando leu nota da Chancelaria Reuniã (a segunda) dizendo que nada tinha a ver com os ataques, transformou-nos em heróis do micronacionalismo. Penso comigo se um dia voltarei a pisar em solo português, não sem antes poder ser ouvido pelo Rei, que ausente estava na maior parte dos acontecimentos. Porto Claro quase desmorou, com o governo sendo muito criticado, a justiça desacreditada, integrantes do governo deixando seus cargos, mas como eu próprio ouvi de um portoclarense, a democracia é assim. Um micro-país é para mostrarmos ao mundo real que é possível viver de forma diferente, que é possível sermos melhores, não para imitar o que temos de pior em nosso próprio país real. Sofia, que também aderiu ao embargo, continuo recebendo reuniãos em seu país, e nesse tempo todo que lá estou, percebi que eles estão preocupados mesmo é com o Principado de Sofia, véspera de eleição, essas coisas. Fato raro, uma micronação preocupada com si mesma. Nota dez para Sofia. Açores, que enviou a carta de repúdio a Reunião, através de Wagner Campodonio também recebeu os reuniãos em seu país, lugar que descobrir ser excelente para os debates, com um pessoal centrado e determinado a ouvir todos os lados e nunca agir pela emoção. Na primeira tentativa de um estrangeiro em tentar se fazer politicamente do episódio, foi convidado a se calar, respeitosamente, como sempre.
 
Enquanto isso, em Reunião, nós continuamos a trabalhar para que o país melhore, que corriga alguns erros e que se torne cada vez maior. É bem verdade que alguns "bêbados" sempre passam do limite, mas que não os tem. Tenho certeza de que todos aprenderão com o episódio, porque vocês ficaram meses para trás, enquanto nós caminhamos a passos largos para termos um país melhor e eu não vou abrir mão de transferir essas melhoras para o micronacionalismo como um todo, apesar de todas as ofensas recebidas nas últimas semanas. Saudações! 
 
NOTICIAS
 
CAMPEONATO ORGANIZADO PELA LRF REACENDE FUTEBOL MICRONACIONAL
 
Um campeonato de futebol organizado pela Liga Reuniã de Futebol (LRF) está reacendendo os ânimos dos boleiros micronacionais.
 
O campeonato será em comemoração aos 100 meses de Claúdio I como Imperador do Sacro Império de Reunião, e reunirá equipes de mais três países, URSS, Porto Claro e Sofia.
 
A LRF está sendo assessorada pela ADC Management, empresa privada que gerencia o futebol.
 
Apesar de todos os preparativos, o presidente da ADC Management, que também controla a LRF, Alexandre Carvalho, está com receios acerca do bom funcionamento do Estadium, que vem sofrendo diversas panes.
 
Recentemente todos os times foram apagados e posteiriormente recuperados.
Alguns amistosos ainda apresentam problemas e os times recém-formados começam sem nenhum dinheiro em caixa, contrariando o tradicional "dinheiro inicial" de outras épocas.
 
A organização da competição visa principalmente um reforço substancial do caixa das equipes participantes, além de um promessa de medalha para o campeão que seria oferecida pelo Palácio Imperial de Saint Denis.
 
Para Carvalho, será mais uma tentativa com o Estadium, mas alerta que já estuda novas formas de praticar o esporte micronacional.
 
O Campeonato Jubileu de Ouro deverá começar na sexta-feira, 03/03.
 
IIRDE DIVULGA NÚMEROS DE PESQUISA PARA ELEIÇÃO REUNIÃ.
 
O Instituto Independente Reunião de Dados e Estatísticas (IIRDE) divulgou no final da noite o resultado da pesquisa de opinião sobre quem deveria ocupar o Magistral.
 
Os nomes apresentados pela pesquisa foram rejeitados pela sociedade reuniã, o que por si só já coloca grande responsabilidade para o próximo premier.
 
Os nomes de Fernando de Friedenburg (MICROSOC) e Jorge Adamatti (PIGD) ficaram com 26%. Outro nome ficou com 47%. O atual premier Bernardo Alcalde não foi citado para exercer um segundo mandato.
 
André Giserman, que tem no currículo o fato de ter sido o melhor premier da história, apesar da renúncia no segundo mandato, seria um dos "outro nome" citado na pesquisa. Alexandre Carvalho, que também já foi premier e por conta do governo fraco de Marina Melillo e do governo inativo de Bernardo Alcalde, acabou por ter transformado seu governo em um dos melhores, também é cotado.
 
Independente de quem chegar ao Magistral, Friedenburg ou Adamatti, grandes serão as dificuldades para governar, mesmo porque agora, qualquer "espirro" no Magistral poderá render um moção na APQ.
 
É verdade que as eleições terão que acontecer novamente, para que se tire da cédula a opção de votar em abstenção, mas pouco deve mudar na eleição, ou melhor, pode até ser que mude, pois pessoas que tinham decidido participar do pleito na última hora, podem não fazer isso novamente.
 
EMBARGO A REUNIÃO VIRA PLATAFORMA POLÍTICA EM PORTO CLARO.
 
Há poucos dias da realização de eleições presidenciais e para o Senado de Porto Claro, uma das plataformas políticas usadas é a manutenção do embargo a Reunião.
 
Estranha o fato de o embargo quase ter acabado com o governo do presidente Ricardo Junior, ser mantido como item de alguns candidatos para tentar a eleição ao Senado.
 
Analistas intermicronacionais explicaram que o embargo já vinha sendo usado como plataforma política e que apenas "tomou corpo" com as proximidades das eleições.
 
Tanto Monteiro quanto Junior são do partido que estava no poder até então e não lançaram candidatos a presidente para este pleito. Mesmo assim o partido é um dos grandes favoritos para a eleição do Senado e devem conseguir um bom número de cadeiras, 3 das 10 disponíveis.
 
Ainda segundo os analistas, um dos maiores defensores do embargo, Luiz Monteiro, atual Chanceler de PC, teria usado a OMU e o embargo para se auto promover. 
 
ARTIGO
Por Jandeilson Arion, especial para o A Labareda
 

OMRU x LIBERDADE DE IMPRENSA

 

Até que ponto é viável sanções e embargos na questão de Liberdade de Imprensa?

 

É possível uma organização multilateral fazer isto?

 

Não só é possível, como fora feito.

 

Nas ultimas semanas o micromundo tem assistido ao tenso debate jornalístico sobre o embargo que a Imprensa Reuniã estava sofrendo por conta de campanhas de volta de ex-reuniãos, o que levou o nome de aliciamento, palavra que anda percorrendo o micromundo, e que tem entre seus significados segundo o dicionário Aurélio tem: subornar, seduzir.

 

O impasse do embargo a Reunião e sua imprensa nos países que formam o quadro da OMRU sequer tem data prevista para acabar, ou local certo para ser discutido.

 

O impasse tem prejudicado Reunião e a própria imagem da OMRU.

 

Tal assunto colocou em cheque o credito da Organização Multilateral, visto que uma  crise instalada dentro da própria OMRU fez com que alguns países como o Principado de Sofia, Portugal Algarves entre outros, seguissem orientações contrarias as que a OMRU sancionou, decisão esta que fora votada e tomada pela maioria dos Embaixadores que compõem a Organização.

 

Um dos Embaixadores dentro da OMRU que fora responsável pela criação do conjunto de sanções contra Reunião, tivera sua cabeça pedida pela Chanceler de seu país.

 

Os calculos do Embargo não são indecifráveis, porem neste momento só nos é possivel ficar assistindo a desacreditada OMRU seguir com seus embargos mau feitos e displicentes.

 

Nunca nos fora possível imaginar que em uma instituição que devesse zelar pelo direito da Liberdade de Imprensa, esteja causando tantos danos assim. É bom lembrar que a liberdade é um direito de todos, e esta deve ser em todas as hipóteses preservada, porem fica aqui a questão: será uma ditadura ou um prenuncio do que está por vir?

 

Ante de mais nada, este é o momento que a OMRU deve repensar seus conceitos, prestar atenção no que está fazendo, e se possível fazer uma reforma em seu estatuto, pois no mesmo deve conter que o direito de liberdade de imprensa é um direito inviolável, e que o mesmo pertence exclusivo e a critério de cada país. Pois nem mesmo os países devem cometer este crime ditatorial.

 

Fica aqui um recado para os senhores embaixadores desta distinta Organização: parem de brincar com leis e embargos que prejudicam os direitos humanos e de imprensa.

 

Embargar Reunião é uma coisa. Mas embargar o direito da Imprensa de livre comunicação, é inerte, é realmente uma piada de mau gosto, uma brincadeira de criança que nem elas mesma fazem.

 

Até que ponto os senhores vão brincar de Diplomacia? Quando passaram realmente a exercer essa bela profissão? Até que ponto vale seguir com este embargo?

 

Pode a imprensa sofrer este tipo de crime?

 

Ficam ai pergutas que só a OMRU pode responder.
 
* Ao escrever esse artigo, Jandeilson Arion ainda era cidadão do Reino da Normandia
 
 

Expediente
 
Editor-Responsável: Alexandre Carvalho
A Labareda é uma publicação do Grupo IIRDE
Fundado em 06/08/2004

 

 

--------------------------------------------
SACRO IMPÉRIO DE REUNIÃO
100 MESES DE INDEPENDÊNCIA
Seja tudo o que você quer ser!
http://www.reuniao.org
--------------------------------------------
O C.H.A.N.D.O.N., Cadastro Hebdomadário
Actualizado e Notório do Departamento da
Ordem Nacional, é mantido pelo Ministério
do Interior, órgão do Poder Executivo, visite a pagina atualizada do Min. Interior -> http://www.reuniao.org/chandon/
---------------------------------------------------------------------------

Yahoo! Grupos, um serviço oferecido por:
PUBLICIDADE


Links do Yahoo! Grupos