Chá, Conversa e MONTENERO Nº 9 | 16 de Julho 2009

 Chá, Conversa e Montenero

http://chamontenero.blogspot.com

Nº 9 | 16 de Julho 2009

 

©Editora Casa de Pacífica

© Arquidiocese de Lisboa

Circulação:

Sacro Império de Reunião

Reino Unido de Portugal e Algarves

Principado de Mônaco

 

Qual o ponto de correspondência entre Hinduísmo, Chá e Reunião? À princípio o único ponto de encontro é nossa revista que reúne uma boa xícara de chá, um bom papo hinduísta com a Imperatriz do Sacro Império Reunião, simpática à religião das Índias.

Mas as convergências vão além disso! Na Índia, o hábito do chá foi introduzido pelos ingleses que, na ânsia de aumentar seu mercado, distribuiu gratuitamente a bebida. Logo o chá ganhava ingredientes próprios e incorporava-se à cultura da Índia.

Assim também o micro-nacionalismo reunião, inspirado nos matizes anglófonos, misturou seus próprios ingredientes nessa viciante bebida. Isso fica patente quando conversamos com a Imperatriz Roberta de Castro Bourbon, uma figura que representa bem o Sacro Império. 

Forte, impactante e sui generis, o Sacro Império traz um bônus e um ônus que caberia numa simples reflexão sob figura de uma pergunta: “Pode um micro-nacionalista reunião manter-se ativo durante todo o tempo ou é salutar que ele tenha um tempo sabático?”

Deve – todo o micro-nacionalista – perguntar-se sobre o tempo atual para saber o tempo futuro. Outra coisa não é tão necessária quanto saber o que circunda o micro-nacionalismo e isso poderemos encontrar nesta edição de Chá, Conversa e MONTENERO, que traz uma exclusiva com a Imperatriz que retorna com força, graça e acidez às atividades imperiais.

Na coluna Officielle, Nuno traz à nossa atenção um balanço do mês de Junho apontando caminhos e críticas para a mídia reuniã. De Soslaio, Marcelo Brunella dá a panorâmica de sua visão sobre o mundico.

Nesta edição consideramos ainda o “IDEOLÓGICO E IDEOLOGIZANTE” sócio-culturalismo, na coluna Blink tudo isso ao sabor do delicioso Masala Chai. Então, boa leitura e Om shanti! Namastê!

D. Fabianno Montenero C. de Monte-Real e Pacífica

Editor

Chá

O Masala Chai é uma bebida da Índia composta de chás com uma mistura aromática de especiarias indianas e ervas. Não há uma receita universal ou um método próprio de preparo, o que faz o chá variar de paladar de acordo com a preferência. Contudo, o Masala tem seus componentes básicos: Chá, açúcar leite e especiarias. Comumente usam-se cardamomo, cravo, canela, gengibre, anis estrelado e pimenta em grão o que potencializa a ação benéfica do chá:

O Cardamomo ajuda a aliviar problemas digestivos;

O cravo ajuda a revigora o corpo e traz alívio às constipações;

A Canela ajuda a reduzir a pressão arterial, reduzir dores e febres, aliviar os sintomas de indigestões, náuseas, gases e azia. Ela também pode ajudar com cólicas menstruais.

O aroma forte e intenso das especiarias misturadas produzem um efeito calmante e quente para o corpo, tornando difícil de resistir a uma segunda xícara. Mas atenção: o sabor picante é nota dada pelo gengibre, por tanto é bom dosar o gengibre se não apetecer algo mais picante.

Em Saint Denis as atrapalhadas dos conselheiros imperiais, em Beatriz um premier como Dom Sebastião,em São Herculano,os Patrícios que se deram bem em um hercúleo trabalho,em Izabella, Conservatória, Le Port, Straussia, Mauritius ninguém sabe o que se passa.

Vamos começar falar de Saint Denis, os Conselheiros Imperiais vivem em processos uns contra os outros, mas de fato nós o povão ou a prole (como preferir chamar) ficamos sem saber de fato o que acontece,sabemos apenas que o Rabino Ithzaak convida a todos,mas quem de fato vai? Vamos lá pessoal, vamos cumprir com o nosso trabalho de povo, pova ou povão em saber o que está ocorrendo em nosso império, fica a dica dada.

Politicamente falando, que diabos ocorre na APQ? Como Lucas de Baqueiro o Cidadão da OG, sempre mal falado pelos becos e bares no império conseguiu ser Líder do Moderador? Bom lá vai mais uma pergunta que não quer calar, como? Enquanto isto vamos vendo seus trabalhos até agora apresentou um projeto de lei em qual não podemos falar que foi mal elaborado e sim pelo contrário,apenas acho que deveria ser debatido melhor com seus companheiros não só de partido como de casa legislativa,meus parabéns pelo trabalho empenhado “Seu Doutô” Baqueiro apenas esperamos que com sua língua pare de ser preconceituoso.

Nas Capitanias, Vice-Reinos, Protetorados O CAOS, o Caos ora por causa de falta de vontade de seus dirigentes e outras por cooptações ou senão de falta de vontade, pois afinal, todo mundo fica em Chandon onde todo império vê para ficar puxando saco para ver se ascende, no Império a Meritocracia deveria ser diferente, os Puxa Sacos não mas os que realmente trabalham no Alicerce do Império (que está a Deus Dará),bom monsieurs et madames vamos trabalhar nas capitanias?! Que mal tem? O Máximo que pode acontecer é Chandon das 3000 mensagens por mês ficar com 1000 ou 2500 mensagens por mês.

Chandon não é importante e sim fazer micro-nacionalismo… nas regiões,os alicerces do Império.

Agora vamos falar novamente de Beatriz, onde todos os olhos se encontram esperando que no Magistral o Premier que tem uma expectativa de Dom Sebastião mesclado com Barack Obama. Bom, O Premier está com uma equipe incrível tem trabalhado pessoalmente pouco (oras pois, pois ele é super capaz ele atua nos bastidores) aos olhos do povo,o Premier precisa aparecer para o povo e não somente ficar na labuta nos Bastidores,ai está minha gente,dá esta sensação de inatividade mas não está,bom Premier Miranda apareça mais na Sacada do Palácio Magistral como Perón,ai o povo para de Reclamar.

 

No “Istrangero”

RUPA: É Isso mesmo RUPA está agora com um site belíssimo e lindíssimo só que a política externa entre o Império das Mascarenhas e a terra de Camões vai de mal a pior principalmente agora com o ato de beligerância e a redentora revolução em PCO.

Justificável ou não, apenas eu pessoalmente espero com minha experiência como Diplomata na “Chancela” do Império das Mascarenhas, RUPA + RE = Amizade Muito Mais que frutífera para a Lusofonia, ambos têm muito que aprender um com o outro, El-Rei Jorginho e Impá Crá! Sentem num Boteco, e comecem a discutir a relação e cheguem a uma paz, vai ser bom para todos nós, lá tanto mar em Portugal como a cá mar em Reunião.

Ortence: Olha, Mademoiselle Juliana, meus parabéns por conseguir manter a Ordem Pública em seu reino que eu acompanhei na fundação e vi que vossa majestade gerou este “filho” com muito orgulho e sofrendo preconceitos por ser digamos “novata” na hora que criou.

Com todo o carinho no fundo do coração, lhe desejo boa sorte na empreitada da legalidade

P.S.: A Casa Real Serpa, favor não levar a mal meus comentários.

Teutebumi: é uma micro-nação nova, de culturas já formadas (não é RPG!). Ainda está em formação apenas desejamos que esse novo filhinho da Lusofonia tome “Biotônico Fontoura” e cresça pra ficar fortinho para enfrentar este mundo de “dragões” (No Virtualism Man!) que é o Micro-nacionalismo.

República de Porto Claro (no Desterro): Pra vocês apenas: “MIMIMIMIMIMIMI” Micro-nacionalismo não é brincar com índio sodomita, aprendam! Respeito alguns como Deoclécio Galvão e outros, mas o resto: voltem a brincar com sodomitas!

República Aristocrática de Porto Claro: Sr. Ferdinand e Sr. Aron, vocês estão conseguindo colocar aquilo que o Imperador Claudio contou-nos há um tempo, colocar novamente de fato o valor “Porto Claro Way” acho que está indo tudo bem por ora,estão colocando ordem “no barraco”,espero que aquela Porto Claro anterior que parecia um “Forro Risca Faca” nunca mais volte a aparecer.

Matilda: Bom, eles tem um ótimo projeto,só precisa tocarem de verdade.

 

Por M.Marcelo Brunella Aziz Jorge

Visconde de Marques Lisboa

Diplomata da Chancelaria Imperial, Especialista em Micro-nações Orkutianas e Qualicato por 5 Legislaturas e Empreendedor nos Ne gócios Virtualistas.

IDEOLÓGICO E IDEOLOGIZANTE

Não resta dúvida de que apresentar a corrente micropatriológica seja o escopo do periódico “O Socioculturalista”, contudo, lançamos a questão: Também não existira a intenção ideologizante? Ou, de outro modo, diríamos “O Socioculturalista” tem a intenção de apresentar uma tese, mas ao mesmo tempo de inculcar essa tese no ambiente micro-nacional.  Alguns podem pensar que se trata de uma resposta óbvia. Contudo, no óbvio residem as dúvidas!

Claro está que não se trata de crime e nem fere a moralidade o fato de o panfleto ser ideológico e ideologizante. À bem da verdade, tudo já fica bem claro desde as primeiras linhas: “O SOCIOCULTURALISTA defenderá explicitamente uma idéia em seu editorial – é ideário!”.

A intenção não fica obscurecida ou camuflada, ao contrário, “Como todo opinião fruto do intelecto humano, os artigos deste panfleto serão sim parciais e suas opiniões serão de responsabilidade de seus autores ou, quando no Editorial, da própria instituição”. É como se disséssemos que o socioculturalismo tem nome e endereço, sabemos de onde partem as idéias e para onde vão.

Seria dispensável dizer que toda ideologia parte de um pensador – circunstanciado por sua história e por suas percepções, mesmo que influenciado por outrem. Talvez, exatamente por causa dos nomes pensadores da doutrina, a Micro Igreja Católica tenha se colocado em posição de desconfiança. Cabe passar em revista, de forma lacônica, o curriculum vitae desses pensadores e saber o “endereço e remetente” de tais formulações.

 

(CONTINUA)

Por Nuno Coelho

 


Junho foi um mês de muitas reviravoltas, muitos debates, pouca imprensa e muitos manifestos.

Sim, se formos fazer um balanço do mês de junho, estes são os nossos protagonistas.

Teve o manifesto da esquerda, o manifesto da direita, o manifesto do governo…

Todos se manifestando, o que, aliás, chega a ser tão interessante quanto a imprensa usual.

Num mês em que Reunião foi acusada de tudo que se pode imaginar, também foi acusada sua mídia, apontada como ineficiente.

Aqui cabe a reflexão: 34 é o número de periódicos registrados, divulgados em lista recente. Entre eles, os sempre presentes “Comédias”, “Labareda”, “Telégrafo”, “O Corredor”, “O Cometa”, este em que escrevemos agora e outros, em meio a vários outros periódicos que não se vê faz tempo. Infelizmente, a inconstância ronda a mídia reuniã.

Mas vamos com calma, ainda está bem longe de estarem próximas da verdade, as críticas que fazem por aí fora.

A maior prova disso é a capacidade da Imprensa Reuniã de se reinventar e inovar. Algo me diz que em breve teremos uma revista sobre cinema, um grande passo para nossa cultura. Um passarinho também me contou            que vem uma nova edição do Mundico News por aí.

Bom, chegou a hora mais legal dessa coluna, vamos dar o “quem irrita” e o “quem é legal” de hoje!

É com alegria que eu dou o “quem é legal” para uma publicação nova, que merece esse reconhecimento, pois já mostrou que não está pra brincadeira.

Com um twitter recheado de notícias atualizadas e boas idéias como “O botequim” e seções criativas tais como o “Hoje na história”, “O Paiz” desponta como uma grande promessa, só nos resta esperar que essa promessa se cumpra. Continue com ela Brunella!

Quer saber de uma coisa? Hoje está um dia ensolarado, acabei de comer um chocolate… Vai ter mais “quem é legal” nesta edição, a segunda homenagem, vai para a “Lusophonia”, que nos últimos tempos mandou a inconstância pra passear e tem publicado artigos com uma freqüência louvável. Ficam aqui os parabéns desse colunista à Filipe Oliveira e seus excelentes textos.

Agora, vamos pro “quem irrita”. E quem ganha o nosso troféu abacaxi é a “Imprensa livre”. Além de ser palco de mensagens pornográficas, spans, censura e similares, a Imprensa Livre mostrou que também pode ser uma torneirinha de asneiras, como diria o saudoso Moteiro Lobato.

Figuram entre essas “asneiras” a torrente de impropérios que se deu, além das inúmeras grosserias proferidas contra nós e nosso casal imperial.

Fica aqui um recado para a Imperatriz, é possível divertir-se com o que acontece na Imprensa Livre, mas fizeste muito bem em deixá-la.

É isso. Voltamos no próximo chá ou a qualquer momento com os comentários e notícias exclusivas sobre o que acontece na mídia de Reunião.

Foto oficial da Imperatriz

Romerta de Castro Bourbon

É uma linda noite e nós estamos aqui num chá.

À mesa conosco está ela: Linda, Magra e Imperatriz, Roberta de Castro Bourbon.

Boa noite, imperatriz

 

Imperatriz

Boa noite, meu querido Fabianno! Boa noite, queridos súditos! Om shanti! Namastê!

Faltou o “loura”, hein?

 

Montenero

Certamente, e LOURÍSSIMA!

Sua figura em Reunião sempre foi cercada de mistério. Muitos a achavam mais uma das personalidades múltiplas de Claudio de Castro. Até que resolveu sair do santuário onde habita e estar entre os súditos.

A que se deveu sua presença, de um tempo pra cá mais constante, em CHANDON e no Salão Rectangular?

 

Imperatriz

No passado, eu era extremamente ativa em Reunião, no Poder Judiciário. Passei de Juíza a Desembargadora não por ser a esposa do Imperador, mas porque eu, de fato, tinha boas habilidades jurídicas. Estava em plena faculdade de Direito na PUC-RJ e elaborar aquelas sentenças e pareceres me parecia extremamente gratificante. Eu poderia colocar em prática, nem que fosse uma prática virtual, aquilo que aprendia em sala de aula.

Eu levava a sério o que eu fazia. Caprichava na minha “profissão” de Desembargadora, porém eu sempre achava que não era reconhecida, em especial, quando muitos súditos diziam que era o Imperador quem escrevia minhas sentenças e pareceres. Tinham certeza que ele se fazia passar por mim para controlar o Judiciário. E o pior de tudo é que muitos destes súditos que falavam esse verdadeiro absurdo me conheciam PESSOALMENTE, sabiam que eu não era um “paple”.

Porém, mais uma vez na minha vida eu sentia o “peso” de ser loura, magra etc. Eu não tinha uma aparência física de quem tivesse capacidade de fazer boas apresentações jurídicas.Eu teria que ser menos Barbie, menos magra, menos loura, menos patricinha para ser considerada uma mulher com cérebro.

Era inimaginável meu sofrimento em não ter meu trabalho micronacional reconhecido. Meu coração doía a cada vez que diziam que não era eu quem escrevia minhas sentenças e pareceres.

Eu passava um bom tempo do meu dia elaborando um bom serviço com bons textos bem escritos para depois falarem que era o Imperador o autor de tudo o que eu escrevia? Puxa vida, isso me devastava.

Obviamente, não diziam este absurdo cara a cara. Passava-se nos bastidores.

Depois de certo tempo não suportei mais essa atitude de alguns súditos e achei melhor para minha psiquê abandonar tudo. Ir embora do micro-nacionalismo. Eu não iria mudar minha aparência física para ter mais credibilidade. Só me restou baixar o pano e terminar o show.

Recolhi-me como uma pérola em uma ostra e assim permaneci por alguns anos.

Sempre recebi CHANDON em minha Caixa de Entrada e dava umas olhadelas.

 Neste ínterim em que fiquei afastada do micro-nacionalismo casei-me macro-nacionalmente com o Imperador (estamos casados há 5 anos) e não houve nenhum convidado que fosse participante do micro-nacionalismo. Nosso casamento contou com 300 convidados e nenhum deles era participante do micro-nacionalismo. Eu estava verdadeiramente divorciada do mundo virtual.

Até que…  Cláudio começou a me contar muitas coisas interessantes sobre os padres de Reunião (Padre Tarquino e Padre Fabianno). Dizia que eram pessoas maravilhosas e que eu deveria conhecê-los pessoalmente.

Depois de muito pensar, disse ao meu  marido: “Vamos fazer um encontro de Reunião à moda antiga para que eu conheça os novos rostos? Será que consigo me re-adaptar?

Aquela reunião de reuniãos que ocorreu em março foi idéia minha. Eu quis tentar re-acender a chama do micro-nacionalismo.

Queria mais uma vez poder em casa comentar com meu marido coisas engraçadas que se passam em Reunião. Comentar sobre os súditos.

Sempre foi divertido conversar sobre as pessoas de Reunião. E eu estava sentindo falta dessa parte em minha vida pregressa.

Fui ao encontro, vi pessoas novas, interessantes, educadas, uma nova safra de súditos não viciados com a idéia de que eu era uma FRAUDE.

Porque era isso que eu acabei me sentindo: UMA FRAUDE!

 

Montenero

Cérebro e bom humor é o que a imperatriz esbanja cotidianamente de vários modos. Do jocoso ao ácido, a senhora tem agradado a todos os súditos com suas participações. Hoje a Imperatriz tem um séquito que parece ser maior que o do imperador, como se sente no Império Reunião de hoje?

 

Imperatriz

Sinto-me muito bem. Não quero ter nenhuma função importante.

Quero seguir desta maneira jocosa, ácida, mas, ao mesmo tempo, carinhosa.

Sinto-me feliz por não ser mais considerada uma farsa

Em minhas mensagens transmito o que realmente sou. Uma mulher que embora magra, loura e patricinha consegue ter um humor um tanto ácido, um tanto negro (ou cinza purpurinado, como costumo dizer em minhas mensagens)

As mensagens que envio expressam minha personalidade. Acredito que ninguém pense que seja o Imperador que esteja a redigir meus textos. Eu e ele temos características bem distintas no modo como se apresentar em público. Se alguém pensa que eu sou ele e que ele escreve em meu nome, esse alguém deveria pegar um revólver, enfiar em sua própria boca e dar-se um tiro porque é burro por demais e insensível por demais.

 

Montenero

É verdade!

A imperatriz amealhou alguns fãs (eu entre eles). É verdade que ainda tem uma ceninha de ciúmes por parte do imperador pelo fato de estar tão popular?

 

Imperatriz

Não! Essa ceninha nunca houve. É uma “lenda urbana”. Ele faz o tipo de marido que gosta do sucesso da mulher que o acompanha. Ele gosta de ver que eu estou feliz em participar de algo que ele idealizou em sua adolescência.

 

Montenero

Quando lhe irritam as pessoas no micro-nacionalismo? Aquilo que lhe tiraria o sério e lhe faria ficar brava mesmo!

 

Imperatriz

Hoje em dia, nada me irrita, digamos assim. Entretanto, há algo de muito ruim que se passa em todos os aspectos da vida micro e macro-nacional. Colocar o fato da aparência física como um bom motivo para ofender.

O Imperador e tantos outros súditos estão com grande sobrepeso. Isso é uma fato. Só quem não é dotado de visão é que não percebe, porém, sem mais nem menos as pessoas são xingadas de gordas e de feias. Até parece que quem está a xingar e a magoar é alguma beldade. Mesmo que fosse a criatura mais bela do mundo não tem o direito de magoar o próximo. A questão feio/bonito e magro/gordo machuca.

 

Montenero

Hoje há uma personalidade atrás do título Imperatriz, alguém que é admirada. Mas sabemos que todo o lado tem dois lados. Existe alguém que se declarou desafeto a VSMI?

 

Imperatriz

 Nenhum súdito se declarou negativamente a mim, mas ninguém é unânime. Eu não sou unânime. Com certeza total, há pessoas que não gostam de mim e que devem considerar minhas mensagens ou ácidas demais ou pretensiosas demais. Porém esta é a vida, não posso agradar a gregos e troianos e, antes de tudo, devo dizer que a “unanimidade é burra”.

Em suma, estou pouco me importando o que acham de mim. Preocupar-me com isso é uma página virada em minha vida.

 

Montenero

Por suposto que sim! Já que tocamos “no que preocupa”, o que preocupa a Imperatriz Roberta no micro-nacionalismo?

 

Imperatriz

Na verdade, sei que bons e maus súditos sempre existirão. Gente boa e gente ruim há em qualquer atividade. No micro-nacionalismo há muita rotatividade.

O que de fato me preocupa é a falta de qualidade dos adolescentes e jovens da atualidade. Escrevem mal, se expressam mal e acham que o “internetês” é a língua oficial de quem está online. Meus olhos saltam das órbitas quando vejo os erros crassos de português, o assassinato a mais linda flor do Lácio, inculta e bela. Os jovens estão mais interessados em aprender a língua inglesa do que, antes de qualquer coisa, aprender de fato a língua mãe. Acredito que quem não sabe bem a língua que “mamãe ensinou” não deveria sequer cogitar em aprender qualquer outra.

 

Montenero

Às vezes sinto falta de uma participação feminina mais abrangente e forte em Reunião e no mundico em geral. Não digo um feminismo do tipo daquelas coisas caricaturadas que se vê entre as militantes, mas algo de fato… Eu diria… FEMININO. Como a imperatriz, que é tão feminina no seu modo de estar conosco, vê esse fenômeno? Como as mulheres de Reunião poderiam ser mais femininas e mais efetivas?

 

Imperatriz

Feminilidade é oposto de efetividade, infelizmente.

Ser feminina atrapalha. Os homens (no sentido de sexo masculino) que, até o presente momento, dominam o mundo vêem na feminilidade uma fraqueza. E, de fato, posso considerar que ser feminina demais implica em ser protegida por um homem, em ter uma figura masculina ao lado e isso nos enfraquece. Não posso ser hipócrita em dizer que as mulheres estão na frente, que elas estão no mesmo patamar masculino. Nós não estamos e não é por burrice feminina ou por incapacidade feminina e sim por anos e mais anos de “esmagamento” da figura da mulher. Fomos sempre consideradas as rainhas DO LAR. Apenas do lar. Um dia, acredito que isso se reverterá, porém, minhas esperanças são em longo prazo.

 

Montenero

 E por falar em lar… Do micro ao macro! Reunião afasta mais ou aproxima mais o casal imperial?

 

Imperatriz

O micro-nacionalismo afasta os casais em que uma das partes não participa da “brincadeira”, mas quando os dois participam acaba por aproximar. Quando eu participo, efetivamente, do mundico micro-nacional/esquizofrênico, nos tornamos mais próximos e com mais assunto. Entretanto, é necessário ter a “veia micro-nacional” para suportar participar deste mundo. Eu tenho esta veia. Eu sei que tenho. A maioria das mulheres não conseguiria estar casada e feliz com um “Imperador micro-nacional super-ativo”, porém, eu me adapto ao micro-nacionalismo e ,no fim das contas, acabo por apreciar bastante.

 

Montenero

A imperatriz é impaciente? Quando?

 

Imperatriz

Fui muito impaciente. Hoje treino a paciência e a tolerância.  No hinduísmo temos que esperar e tolerar. Temos que aceitar! Mas me torno impaciente quando há ofensas pessoais e uns magoando aos outros por causa de gordura/feiúra/burrice.

 

Montenero

A senhora diz que toda a unanimidade é burra. Certamente tem suas preferências no mundico. Quem seriam seus… “preferidos”?

 

Imperatriz

Por Ganesha!

Eu não poderia citar nomes. Claro que tenho meus preferidos. Não amo a todos. Não quero ser canonizada. Porém, isso é coisa que Impamãe não pode falar. Eu odeio uns magoando aos outros e se eu citasse nomes específicos estaria magoando aqueles que não foram citados.

 

Montenero

Ainda falta muito pra Reunião ser o EL DOURADO do micro-nacionalismo, mas já é grande e tradicional. Como vê as possibilidades de Reunião hoje no panorama político social do micro-nacionalismo?

 

Imperatriz

Sabe, Fabianno, eu vivo apenas em Reunião. Acredito que nosso país seja um dos melhores do micro-mundo. Com certeza, um dos mais divertidos com mais gente integrada, porém não posso dar uma opinião abalizada sobre isso. Eu retornei à atividade há pouco tempo e, para falar a verdade, não estou muito preocupada se Reunião está “abafando” no panorama micro-nacional. Quero que aqui dentro do país haja pessoas de qualidade com cujo convívio seja interessante e engrandecedor.

 

Montenero

Perfeito! Parece centrado preocupar-se com como as pessoas se sentem entre nós. Às vezes nos preocupamos como as pessoas nos vêem e isso acaba nos tirando de nosso objetivo. Creio que a alegria de ser reunião é mais gostosa do que a alegria de ser visto como reunião.

 

Imperatriz

Quando nos interessamos no que os outros estão pensando de nós acabamos por agir conforme a maioria deseja e deixamos de ser autênticos exclusivamente para agradar a uma maioria que sempre irá pelas costas nos criticar nunca agradamos a todos e nunca agradaremos. As pessoas têm gostos próprios.  O que eu acho bom, bonito e interessante outro pode achar uma imensa porcaria.

 

Montenero

E se sentimos que agradamos, é uma máxima minha, é que algo parece errado!

 

Imperatriz

Exato! Quando estamos agradando demais é porque estamos rodeados de aduladores.

 

Montenero

Hoje está em voga a licitude dos debates religiosos em listas nacionais. Sobre seu lado religioso, como é sua experiência religiosa e como isso lhe ajuda enquanto pessoa? O debate religioso em CHANDON poderia fazer de outras vidas melhores?

 

Imperatriz

A minha experiência religiosa em termos de hinduísmo está intimamente ligada à minha prática do Yoga. Eu sempre sofri de forte ansiedade e, nos últimos tempos, resolvi que queria me “curar” deste mal.  O Yoga é uma das vertentes desta minha cura pessoal.

O debate religioso torna Chandon maçante. Muitos não querem ficar lendo o que a Bíblia disse ou como essa ou aquela religião a interpreta. Se quiserem discutir religião no sentido puro da palavra dever-se-ia construir uma lista para tal finalidade.

 

 Montenero

Da religião para a mesa. O que esperar no próximo MEGA ENCONTRO?

 

Imperatriz

Tudo de muito bom. Muita alegria, muitas gargalhadas, muito entrosamento, muitas conversas e discordâncias políticas. E, até mesmo, alguma paquera. Afinal, tenho súditos que estão pegando “papel na ventania”. O encontro cara a cara serve, em especial, para termos em mente que este nosso hobby não é meramente virtual. Somos pessoas ativas macro-nacionalmente e não um bando de “nerds” alucinados que só pensam em computação e heavy metal.

O encontro gera ótimos frutos, intensifica as amizades, estreita laços pré-existentes no mundo cibernético.  É altamente salutar que nos encontremos de tempos em tempos. Isso solidifica os laços.

 

Montenero

Aqui quem manda é quem segura a chávena, há algum tema que não tenhamos tocado e que VSMI gostaria de falar?

 

Imperatriz

Sim, gostaria que neste encontro de 01 de agosto ninguém fosse hostilizado ou colocado em situações embaraçosas porque esta ou aquela pessoa desconfia de uma suposta opção sexual.

Gostaria que todos se sentissem bem, inclusive aqueles que estejam vestidos de bailarina cor-de-rosa. Entendem-me?

 

Montenero

Das mais belas flores que se puderam plantar no jardim da lusofonia ressalta aos olhos e exala doce perfume  a agradável presença de Roberta de Castro, a Imperatriz reuniã. Mulher, inteligente, bonita, sagaz e… Lindamente loura.  Creio que há muito que não me sentia tão à vontade e ao mesmo tempo tão alegre com uma entrevista assim… Leve e agradável.

Certamente a imperatriz volta para a atividade e entra para o Hall das figuras mais simpática e ao mesmo tempo mais fortes do micro nacionalismo lusófono.  Namastê!

 

Imperatriz

Deixo um beijo especial e carinhoso a todos aqueles que gostam de mim de forma autêntica e que estejam participando de meu fã-clube imaginário porque VERDADEIRAMENTE se agradam de minha pessoa, e não estão expondo uma mera bajulação por eu ser esposa do Imperador Cláudio.

 

Como um brinde para os leitores, a apreciação da beleza da Imperatriz Roberta de Castro Bourbon, adida da imponência Sua Sacra Majestade Imperial.

Correspondências

Entre as correspondências que nos chegam comentando os números anteriores, sempre vemos a contribuição dos leitores como um termômetro de satisfação. Sempre haverá espaço para os leitores à mesa do chá!

 

“Valada, grato pela menção, mas deixa-me esclarecer uma coisa:
O MicroSoc não prega Reunião “Socialista”. O Micro Socialismo casa perfeitamente com a noção de monarquia e tem por objetivo principal o Estado Laico, a diminuição da burocracia, o fim dos pribilégios inerentes à nobreza, maior poder à APQ y otras cositas más que já defendi em vários artigos em jornais micro sobre a ideologia MicroSocialista.

[]’s

 

Raphael Garcia

Presidente do MicroSoc

(Em CHANDON)

 

 

 

Dizer que o chá é show é redundante! PARABÉNS MONTE!

 Ah, Obrigado pelo 10º lugar viu Romulita! hehehe

 Atc,

 

Ézio Nunes

(Em CHANDON)

 

 

 

Elogiá-lo é fato.

Afinal, é sempre merecido!

Amo-te muito pai!

Da sua filha que te admira,

 

Carolina Montenero

(Em CHANDON)

 

 

 

Parabens  pelo  periodico Monte  continue  assim…  ah  detalhe  que  moral: 

“5. Tiago Galvão (amigo supremo);”

 

Dom Tiago Galvão et Valois

Vice-governador do Distrito Executivo de Beatriz

(Em CHANDON)

 

 

A cerimônia do chá requer muitos anos de treino… Antes de dominar toda esta técnica, cada detalhe, significa mais do que simplesmente servir o chá. É crucial que os movimentos sejam perfeitos, o mais educado, mais gracioso, e usando os bons modos.”    

Lafcadio Hearn

O COMETA ON-LINE – nº 116 – ANO XIII

O COMETA
Notícias de Amanhã. HOJE.

Saint-Denis (DR),   2 de Julho de 2009   –    Edição Número 0116     –     Fundado em Dezembro de 1997     –    Micromundo Empresa Josnalística Reuniã S/A



“I once saw a sheep with five legs”
EDITORIAL
Cláudio de Castro, Editor-Chefe


        São mais de 12 anos de micronacionalismo, com pequenos intervalos. Pensa-se que neste tempo todo estando sempre “no meio do burburinho”, a pessoa já viu de tudo. Já vi califas ensandecidos, profetas com problemas no teclado, adultos se portando como crianças, crianças como adultos, loucos de todo o gênero, insanidades de todo o tipo.  Tudo, absolutamente tudo isso, contribuiu para a riqueza do micronacionalismo e da lusofonia. São anos e anos de experiências tão loucas quanto enriquecedoras, que só demonstram a profundidade que a actividade micronacional tem, e tudo que ela tem a nos ensinar.  A todos n
ós.

O verdadeiro micronacionalismo é exercício de auto-engrandecimento por excelência. É engrandecedor, enaltecedor, forma profissionais, forma carácter. Mas ao mesmo tempo que tem várias e várias infindáveis qualidades, também possui alguns recorrentes defeitos. Um deles é a tendência da engrenagem parar de girar.  Sem óleo, sem manutenção, ela pára, se queda inerte. A manutenção é relativamente fácil para quem é observador: tem jeitinhos, empurrõezinhos, formas de colocar as coisas em funcionamento após breves panes. Assim, Reunião se mantém gloriosamente activa, e assim também as outras (poucas) micronações que puderam observar aqui como manter a engrenagem em funcionamento.

Mas e o resto?  Já diz Bruno Cava que a Lusofonia só nasceu quando efetivamente passaram a existir duas micronações de língua portuguesa: Porto Claro (in memoriam) e Reunião. Ali nascia o embrião de tudo aquilo que assistiríamos anos depois.  O nascimento de Pasárgada, quando já jazia confortavelmente a sete palmos a velha e irresistível Porto Claro, veio reinstituir a Lusofonia, e seguiram-se mais alguns anos de prosperidade. Porém, o facto de ser Pasárgada filha querida de Reunião, e de apenas estas micronações se manterem firmemente activas e pujantes, acabou por enfraquecer a Lusofonia, que se transfigurou, em 2008, no quintal do dito “tronco reunião”.

Da mesma forma em que conversar com o espelho não é diálogo, todo o sucesso acachapante e irresistível das duas micronações acabou por dizimar o restante da actividade micronacional pluralista e hiperactiva. Aprimorando nossos projectos, percebemos que acabamos por transformar em uma Hiroshima do pós-bomba o restante da Lusofonia, que passou a ser habitada por insectos, fantasmas e indigentes, além das pequeníssimas micronações que sempre respeitamos, mas que por razões diversas nunca se converteram em países plurais e activos verdadeiramente.  Como se numa redoma de vidro blindado, Pasárgada e Reunião se mantêm activas – cada uma da sua forma, ainda que com modus operandis que considero semi-iguais – e todo o restante parece ter retornado à Idade Média.

Sim, sim, idade média. Pequenos reinos, entre cujas fronteiras há fartos espaços e estradas tomadas por salteadores, e bandidinhos de todo o gênero. Não há mais Porto Claro, e sim arremedo; Sofia, projecto que por alguns anos existiu, passara a ser conhecida como Inês;  Orange desaparecera no mapa. Marajó idem. Normandia seguira o destino tradicional dos dejetos, e semi-micronações como Mallorca e tantas outras foram-se da mesma maneira que vieram. Irrelevantes.  O panorama é desalentador em Janeiro de 2009, ao mesmo passo em que Reunião ingressa em momento de boom sem precedentes, com todas suas câmaras activas (e ampliadas em mais de 30% no número de membros), e quase 160 cidadãos activos.

Será que para Reunião crescer a Lusofonia tem que morrer?

Respondo com SONORO NÃO a pergunta que outro dia me fez Ricardo Cochrane; Reunião tem o dever, como decana da Lusofonia, de se colocar à frente de qualquer projecto que vise o renascimento da actividade intermicronacional no mundico lusófono.  Não se trata de vontade, e sim de obrigação. Nosso país é sinônimo de micronacionalismo, ícone-mor da Lusofonia e basicamente uma das 5 micronações mais comentadas de todo o mundo. Não será no nosso turno que a lusofonia desaparecerá; não é interessante, além disso, que sejamos os únicos. Em terra de cego, quem tem um olho é rei, mas não é este tipo de predominância que almejamos, e nem intencionamos sermos melhores por sermos os únicos. A superioridade só se afirma quando o outro EXISTE.

Olho para Pasárgada e vejo…..Reunião.  OK, realista, fantástica, diferente, doze-mil-adjectivos-abonadores-a-mais, etc. Porém vejo mesmo Reunião. E gosto do que vejo. É uma decorrência do micronacionalismo Reunião, não desejada, mas sim, muito querida. Todavia, noves fora, ZERO.  Não há como haver Lusofonia sem a pluralidade de idéias e o embate frontal das mesmas.  É preciso que haja pelo menos mais um actor na nossa peça, e que seja dada uma chacoalhada no panorama lusófono.

Olhos à direita… Ninguém se candidata.  À esquerda….idem.  Então será mesmo Reunião a iniciar – uma vez mais – a ‘ Golden Age ‘ lusófona. Mãos à obra, hora de reactivar um antigo projecto, que idealizara em 2005/6 quando Reunião adquiriu os domínios portoclaro.org, porto-claro.org, porto-claro.com, portoclaro.net e etc, que por desídia (uma vez que com a compra de todos eles não se junta dinheiro pra um almoço na Casa Urich) haviam sido abandonados. Adquiridos para PROTEGER a lusofonia e Porto Claro, deixamos claro à época.

O leitor pode ou não ter graves reparos a fazer a Reunião. Mas uma observação mais cuidadosa do projecto que ora estamos a levar a termo, de uma NOVA E ANTIGA PORTO CLARO, é absolutamente genial.

Por um lado, tudo aquilo já exaustivamente explicado: podre e decrépita, a dita República de Porto Claro já há anos deixara a categoria de micronação para se tornar uma no-brain-nation, agrupamento amicronacional por excelência, basicamente a mesma caterva de oligarcas que simulam (no mau sentido) uma democracia em que vivem elegendo uns aos outros para ver quem irá comandar o indiozinho (ou zão?) sodomita.  Porto Claro sucumbira, e nem zumbi poderia ser considerada, visto que jamais foi reconhecida por quem de direito como sendo quem alega ser. E se quem de direito é um chimpanzé-que-decorou-a-gramática ou um lunático portador da síndrome de Tourette, isso não importa muito.  Não é, por Deus, surpresa para ninguém que aquilo a que se convencionou chamar de Porto Claro não é Porto Claro.  Petisco, Celerado e Bucaneiro são personagens de revista em quadrinhos, tamanha sua inenarrável parvoíce, e a mim não surpreenderam nem por um segundo ao se tornarem os MAIORES COLABORADORES DA NOVA PORTO CLARO !  

Ao se portarem como um elefante solto numa loja de baccarat, os auto-denominados portoclarenses, em poucos dias, decretaram a prisão de o líder de um movimento que afirmam não existir, atacaram a neutralidade (!) de micronações, foram induzidos facilmente a atirar no próprio pé, e, sempre portando como silvícolas, transformaram a Imprensa Livre, uma vez mais numa divertida comédia de erros e exposição dos mais recônditos de seus defeitos de personalidade.  Esquecendo-se que já deixaram há anos o micronacionalismo, e armando-se de toda a autoridade de uma quadrilha que reúne quem apoiou golpes de estado (sic) em Pasárgada, quem tomou de assalto uma micronação abandonada (familiar?) e um doente de Tourette, resolveram correr atrás do tempo perdido e……dar o empurrãozinho de que o projecto da nova Porto Claro precisava.

É o outro lado.  Fora a necessidade de se salvaguardar um patrimônio da lusofonia que quem de direito não teve a capacidade de fazê-lo, a própria deflagração da Nova Porto Claro trouxe à Lusofonia vida que ela não mais possuía. As criptas, tumbas e covas rasas ficaram absolutamente vazias, enquando assistimos ao retorno de toda sorte de zumbis.  A LUSOFONIA, enfim, VIVE, e imediactamente após as micronações de relevo decretarem seu apoio a Reunião, induzidas pela incapacidade alheia (mas também por um lindo projecto), as mensagens condenatórias de Mum-Ha (o de vida eteeeeeeerna!), Inês, e mais meia dúzia de zumbis comedores de (os próprios, provavelmente) cérebros começaram a chegar, para a alegria de quem já não aguentava mais tanta mesmice.

É. Mesmice.  Mas Reunião não tá hiperactiva e agradável? Sim, claro. Mas mesmo o sucesso entedia. É hora de adicionarmos mais uma frente à eterna batalha de cada dia. Espero, daqui a 12 anos, poder parafrasear o George III de Alan Bennett.


Cláudio de Castro, 30,  quer que a reforma ortográfica se exploda, e agradece

às autoridades Reuniãs por não terem assinado o tratado.


O COMETA COMENTA:  

MIT AFOGADO EM FORMULÁRIOS


BEATRIZ (DE) – A Ministra da Imigração e Turismo, Danielle Ribeiro, e o Ministro do Interior, Bruno Bragança, estão trabalhando em força tarefa para conseguir adicionar a CHANDON todos os novos cidadãos que vêm através da publicação do anúncio que foi capa da Superinteressante do mês de junho. São mais de 40 formulários de cidadania diários, e por conta disso a Ministra da Imigração voltou a usar o sistema de convites, que não era utilizado desde maio, para conseguir fazer frente à quantidade de pedidos de cidadania.   O Ministro do Interior vem colaborando, assim como o CONINDEL, que tem adicionado alguns novos cidadãos directamente na lista da região administrativa que escolheram em seus formulários de cidadania. Muitos dos formulários excedentes vêm sendo doados a Porto Claro, nação protegida por Reunião desde o mês passado.  O guardião das chaves imperiais, Brunno Barbosa, que é o detentor das senhas e da propriedade de todas as listas juntamente com o Imperador, tem trabalhado em conjunto com
o Poder Executivo.  

Em comparação com o boom da “Aventuras na História”, e devido ao aprimoramento do sistema de recepção e integração dos novatos, este tem sido considerado o mais frutífero boom da história de Reunião. A idéia do canal de MSN FACÍLIMO, criado por Marcelo Brunella, tem se provado a melhor ferramenta para a integração dos novos cidadãos rapidamente ao quotidiano de Reunião. A lista de instructores e voluntários contém gente do calibre de Tiago Galvão, Carolina Montenero, Lucas Baqueiro, Heitor Baltazar e a própria Imperatriz.

Além do imenso afluxo de novatos, a luta do Ministério é também para aprovar rapidamente a enxurrada de cidadãos que vêm requerendo seu retorno ao país. Depois de João Pedro Amorim, Marcelo Medina e do grande Leonardo Oliveira, quer-se mais premência na análise e inclusão dos formulários, o que causou a criação de uma mensagem padrão que agora é enviada a todos que preenchem o formulário de cidadania solicitando que se inscrevam directamente no www.chandon.me, poupando assim o passo da “adição”  ou “convite”.


FILIPE OLIVEIRA É O LORDE PROTETOR DO IMPÉRIO


Saint-Denis, DR – Foi nomeado ontem para o cargo de Lorde Protetor do Império, em substituição ao Príncipe Rodrigo Rocha, o histórico Reunião Filipe Oliveira.  Filipe já ocupou o cargo em duas outras ocasiões, ambas em épocas de franca e extrema actividade e progresso em Reunião.  Filipe é nascido portoclarense, fez grande parte de sua carreira pré-reuniã na extinta (?) Orange, e chegou em Reunião em 1999, quando foi pela primeira vez Lorde Protetor.  Súdito controverso mas ao mesmo tempo muito querido, Filipe vinha brilhantemente activo como primeiro secretário do Egrégio Conselho Imperial de Estado.

Oliveira, que é advogado e jornalista, é a pessoa que mais tempo ocupou o Anexo Oeste do Palácio Imperial, sede do Gabinete do Lorde Protetor, e tem um total de quase 4 anos no cargo.  Conhecido por ser aguerrido membro do PACSO (Pacto Social), Filipe intenciona manter activas as autarquias que já vinham sendo-o no tempo de seu predecessor, e pretende intensificar a visibilidade do cargo, que vinha sendo usado com grande parcimônia por Rodrigo Rocha. Filipe Oliveira é também o editor do www.lusophonia.net , portal de notícias independente mas patrocinado pela Agência Reuniana de Notícias. Apesar de movimentos na chamada direita reuniã terem ensaiado reclamações pela nomeação de Filipe, fontes do Palácio Imperial dizem que o Imperador tem certeza de que o novo Lorde contribuirá para que Reunião usufrua da Golden Age em que se encontra.

Insurgindo-se contra o excesso de títulos nobiliárquicos em grau médio, analistas crêem que Filipe Oliveira tentará derrubar no Egrégio a chamada “Lei da Máquina do Tempo”, que garante a ex-súditos nobres a obtenção do título de nobreza anteriormente ostentado apenas um grau abaixo quando de seu retorno a actividade em Reunião. Oliveira teria intenção de modificar a redação da lei para que todos voltassem no grau de Barão. Agora é ver.


II MEGAENCONTRO GERA EXPECTATIVAS
Saint-Denis (DR) –  A Imperatriz Roberta de Castro, que já foi Desembargadora Imperial mas atualmente tem funções cerimoniais e de consorte, é uma vez mais a responsável pela realização do Megaencontro de Reuniãos (“Reunião de Reuniãos”), cuja primeira edição foi realizada com retumbante sucesso no Rio de Janeiro, no Restaurante Porcão Rio”s, em Março último, quando compareceram 26 reuniãos de todos os estados do Brasil.   O próximo encontro, cuja data será provavelmente no dia 1o. de agosto, deverá realizar-se no mesmo local. A data  será confirmada em defi
nitivo no dia 10 de julho.

Até o momento, 30 súditos confirmaram presença, mais 4 cidadãos pasárgados e um de St. Martin. O encontro reunirá Reuniãos de todo o Brasil.

Quem quiser confirmar presença basta enviar mensagem ao CHANDON, e, para votar no local e data da preferência, basta visitar o www.chandon.me (enquetes).


REUNIÃO DE CÚPULA REÚNE CRÈME DE LA CRÈME DA LUSOFONIA
Rio de Janeiro – BR – Hoje reuniram-se durante 3 horas o Imperador Cláudio, o Chanceler de Pasárgada André Cyranka, o Desembargador Imperial Luiz Azambuja e o eminente pasárgado Bruno Cava em um almoço em que foram traçados mais planos para a ocupação plena do território portoclarense.    Foi acertada a nomeação pelo Governo Provisório Portoclarense de Felipe Aron para o cargo de Primeiro Ministro de Porto Claro, que se encontra dividida em Ocidental e Oriental. O lado Ocidental se encontra na esfera de influência do Império, enquanto que o lado Oriental, provisoriamente controlado pelo governo do Presidente Fernando Henrique Cardoso (PIGD), deverá – caso confirmado o acordo – estar na esfera de influência Pasárgada.

Também foi discutido o Pacto de St. Denis – Port Villa, que deverá ratificar e estender os efeitos do atual tratado que sela a amizade reuno-pasárgada, assim como a fundação da CIMEIRA, organização micronacional lusófona de carácter semelhante à LoSS.



Palacianas
Directamente do velho St. Denis

  • Quem não está vendo o trabalho da Ministra Danielle Ribeiro na Imigração deve estar com sérios problemas de visão, tato e audição. A moça trabalha horas e horas diárias na recepção e integração dos novatos. Mas vem a má notícia: Dani vai se mudar e vai passar 15 dias afastada de Reunião, e o Premier Flávio Miranda está em busca de um assistente para a ministra.
  • Bruno Bragança é o novo Ministro do Interior; após algumas semaninhas de férias, ele retorna disposto a se tornar o activo controlador das listas de mensagens imperiais, o primeiro da era www.chandon.me .
  • Filipe Oliveira assumiu como Lorde Protetor e já efetuou admiráveis mudanças no layout e organização do site oficial da Agência Reuniana de Notícias, em www.agenciareuniana.org .  Fifo já conseguiu animar Alexandre Carvalho a juntar-se uma vez mais à equipe de Pedro Nogueira e Daniel Lunardi, que vem mantendo o portal permanentemente actualizado.
  • Rodrigo Rocha, agora Príncipe do Grão Índico, está cheio de planos. Negocia com o Imperador e seus mais próximos conselheiros um conjunto de funções protocolares para dar atribuições ao titulo, que é inédito em Reunião desde o fim da era dos paples, em que Maurice Bourbon o carregava.  Rocha recebeu um prêmio merecido pela activação do Império em 2008, na ausência do Imperador.
  • Gérson França, sempre activo na lista da ARENA está de olho no renascimento de Orange.  Que maldades teria o Imperial Nacionalismo em mente?
  • Thiago Montenero, Chanceler Real dos Açores, negocia a absorção da Ordem Templária Restaurada pela Igreja Micronacional.
  • André Giserman está de volta ao egrégio. O expoente pacsista e editor do Jornal O CORDEL tomou posse na cadeira que era ocupada por Filipe Oliveira, que ascendeu ao Anexo Oeste.
  • O Premier Flávio Miranda está demonstrando muito interesse na área dos esportes, todavia sem desviar a atenção daquela que tem sido a parte mais activa de seu Governo, a Cultura.  O Ministro da Cultura Tiago Melloni, além de montar o fantástico Museu Histórico Reunião, também inaugurará em breve o Teatro Imperial, sob a direção de ninguém menos que Carolina Montenero.
  • Carolina, que, aliás, casará em breve com Luiz Octavio Azambuja, o ex-pigdiano e Desembargador Imperial, novíssimo desafeto do Conselheiro Imperial Douglas Klabunde.
  • Dança das cadeiras na liderança do Moderador no Egrégio. Querendo dedicar-se mais ao CONINDEL,  Glauco Freitas decidiu deixar o cargo, para o qual Fabianno Montenero está cotado.
  • Enquanto isso, na APQ, Lucas Baqueiro surpreende como líder moderador, sendo considerado por muitos o articulador da  aprovação do Plano de Governo de Flávio Miranda pelos 12 qualícatos, contra os prognósticos mais otimistas.  Baqueiro, que agora assumiu também como qualícato, vem sendo considerado, junto com Gabriel Bertochi e João Santana, uma das estrelas da 15º Legislatura.
  • E é Bertochi que fundou uma rádio protestante no país mais católico do mundo.  Boa Sorte!
  • Rafael Itzhaak vem surpreendendo  a todos com sua versatilidade:  à frente do Egrégio numa das mais dinâmicas gestões da história daquele conselho – que agora conta com 16 conselheiros – vem editando a controversa FOLHA DE PORTO CLARO OCIDENTAL, no mais novo protetorado de Reunião.
  • Jorge Quintanova, de RUBA, não entendeu o espírito do “Notícias de Amanhã. Hoje”, para variar.  Quintanova é daqueles meios-entendedores, para os quais nem palavras inteiras bastam! Examinasse a data da propaganda e a data de publicação do Jornal, entenderia. Mas seria esperar demais!  Se nem o micronacionalismo entendeu depois de tantos anos, não entenderá agora!
  • O megaencontro será um sucesso!  E dizem as más línguas que haverá protestos de micronações menos cotadas no mesmo dia. Será um novo dia do Pendura?
  • Já são 32 nomes confirmados para o encontro, e mais os visitantes de outras micronações. A imperatriz-yogi está ficando louquinha para controlar tudo isso. Por que não pede ajuda a seu filho, o Rochinha, quem tem prática de turismo?
  • Kizzy Tupã anda meio sumida dos chats da tarde!  Aparece, Kizzy!
  • A idéia do canal Facílimo, de Marcelo Brunella, merece prêmios de toda natureza. Por mais óbvia que parecia ser, ninguém nunca havia pensado nela, e é hoje a maior ferramenta de integração que existe no país. São mais de 20 novatos ao mesmo tempo em alguns momentos, e os veteranos Tiago Galvão (o chorão), Brunella, Heitor Baltazar e mesmo o Azambuja vêm ajudando a tirar as dúvidas de tantas e tantas pessoas que chegam, a maioria das quais pensando que Reuniãoi é um jogo.
  • Retornos MiL!  Nelson Lilioso von Zeni, Leonardo Oliveira!  Leonardo já chegou bombando, e pegou seu titulo de nobreza de volta no gabinete do LP Fifo, que, sempre torcendo o nariz para titulos mais altos, acabou cedendo.  Oliveira debe também assumir a Quaex, trabalhando directamente com Fernando Henrique Cardoso e Carlos Fraga.
  • Olympio Neto e Raphael Garcia estão num frenesi postador no Egrégio. Os Conselheiros monopolizam a tribuna em pronunciamentos que se seguem minuto a minuto, nas animadas discussões do projecto que intenciona permitir a presença de conselheiros apartidários na casa.
  • Eduardo de Lagrenge, agora reatado com Rodrigo Rocha é que vem surpreendendo:  conhecido por sua actuação meio eminência parda, está sendo um dos mais faladores tribunos de Reunião, ao mesmo passo em que reorganiza o Vice Reino de Maurício, que se encontrava em estado de caos completo após a confusão que o ex-vice-rei Saboya arrumou com Bruno Cantermi, que agora é Senador Açoriano.
  • E falando no Senado Açoriano, Douglas Costino vem presidindo os trabalhos de análise da nova constituição proposta pelo Procurador Geral do Império Thomas Muller e pelo Premier Açoriano Luciano Trindade, a qual vem encontrando algumas oposições do Regente Giancarlo Zeni.  Costino está, juntamente com o Chanceler Real Thiago de Pacífica, cotado para receber os primeiros titulos açorianos a serem concedidos pelo Imperador.
  • Luciano Trindade é um fenômeno!  Sua gestão à frente do Colégio Reunião de Heráldica vem sendo considerada um marco histórico na organização. Mesmo heraldos como o conselheiro imperial Alberto Fioravanti vêm elogiando, diariamente, os trabalhos de Trindade, que nos últimos 60 dias apresentou os BRASÕES ACTUALIZADOS de todos os nobres do império, que se encontram inclusive disponíveis num directório da página oficial do ICRH na internet. São mais de 40 brasões e colares e coroas, todos lindamente produzidos por um  Luciano tão animado como há muito não se via.
  • Alexandro Tarquino, Cardeal da MIC, pode ser considerado um santo, pois um milagre já fez!  Junto com Hugo Alexandre, Isidoro Gualda, Brunella (sempre ele!) e Thalles de Milettus, conseguiu activar o Districto Ecclesiástico, que agora engatinha para tornar-se mais uma culturalmente respeitada  unidade administrativa de Reunião.  Marcelo Gazzaneu ficou responsável pela produção do novo site Izabellano, e o Imperador Cláudio, pessoalmente, propôs à Micro Igreja a produção de um site profissional para aquela instituição, que é verdadeiramente a única instituição supranacional da Lusofonia.
  • Quintino Gomes retorna às origens, deixando o PIGD pela tradicional ARENA, que, porém, perdeu Ricardo “do contra” Cochrane para o Microsoc.   Quintino deixou o PIGD afirmando ser contra a imunidade parlamentar, que foi usada pelo partido para isentar Bruno Queiroz de acusações de difamação.
  • Ézio Nunes está cotado para assumir como Governador de Beatriz, a ser nomeado pelo Premier Flávio Miranda.
  • Do que a Romulita Beatriz ri tanto? E mistééééééééério… Ela entrevistou o Imperador e até hoje ninguém viu esta entrevista publicada!
  • Giuseppe di Veneto está no comando da organização funcional de uma Chancelaria Imperial jamais tão activa.  Em uma época em que Reunião participa activamente de 11 ligas de micronações em todo o mundo e está com representantes em mais de 15 fóruns micronacionais, Giuseppe se torna, cada vez mais, merecedor de um agrado do Gabinete do Lorde Protetor, e de um abraço e beijo do Chanceler Wallace Rangel, que confortavelmente analisa as minutas de tratado, sem necessidade de sequer falar com ninguém, o que rende a Wallace o apelido de O HOMEM DO CARIMBO!
  • Alexandre Carvavlho, todos sabemos, comanda a APQ como ninguém. Entre uma mensagem e outra reclamando das pretensões imperialistas de Reunião, acaba de receber em seu partido um filiado de peso: FELIPE ARON, o Primeiro Ministro de Porto Claro. E agora, Alex?
  • Renan Saifal promete para logo o esperadíssimo site da Sociedade Imperial de Filatelia – SIF, que editou lindíssimo (dizem, mas eu não recebi!) selo comemorativo da libertação de Porto Claro.
  • No micronacionalismo até os cães mortos ladram!
  • Raphael Garcia recebeu uma dose de ADRENALINA com a posse de seu amigo Filipe Oliveira no cargo de Lorde Protetor, e estão todos, inclusive os pigdianos, felizes em ver o velho garcia de volta. Garcia, nós te amamos, a pesar de te acusarem de ser “comunista de butique”.  Seu futuro, todos sabemos, é o do Hulmann, nosso querido Presidente do Banco Magalhães Couto:  de admirador de Che a seguidor de Franco!
  • Felipe Santarelli já prepara sua câmera de 10 mil reais para fotografar os reuniãos no próximo encontro, enquanto reclama dos 100 reais da conta do Porcão.
  • Wernik e João Santana terão para sempre a gratidão de Reunião. A iniciativa do Archivo Imperial ( www.archivoimperial.org ) é a mais fantástica de toda a história de Reunião, pois é verdadeiramente a própria história em movimento.  Totalmente actualizado, o banco de dados sobre o império traz todas as leis e normas relevantes em Reunião, assim como histórico de ações judiciais, decisões, ordenações, e mesmo tratados, tudo em sistema wiki, e com a possibilidade da participação de todos, pois há vagas de archivista imperial!  Basta fazer o login e começar a colaborar!
  • A nova galeria de fotos dos Reuniãos está sendo montada por Carolina Montenero e está em flickr.com/sacroimperiodereuniao
  • A Confederação Reuniã de War de André Chormiak está bombando, e já são muitos os inscritos, a pesar dos protestos de Fabíola Bragança contra as propagandas da CRW. Junte-se a esta iniciativa!
  • O Qualícato Bony Inoue está indignado:  o COPIAR/COLAR de Alexandre Carvalho, presidente da APQ, deixaram ele numa saia justa!
  • Brunninho Barbosa garante: será o próximo filho adotado pela Imperatriz Roberta e pelo Imperador Momo, digo, Cláudio.  O Guardião das Chaves Imperiais é presença semi-confirmada no próximo encontro de Reuniãos.
  • Bruno Queiroz foi visto num comício do Partido Comunista Operário num beco de St. Denis
  • Balduíno, não ofenda as pessoas com base na aparência, seja como o Baqueiro, um cara tolerante, simpático e gentil com todos!
  • Bruno Sogdu deverá assumir em breve o cargo de embaixador titular de Reunião em Pasárgada. Sem cargos desde que deixou o Palácio Fritz Strauss, após o período de provas Sogdu promete voltar a trabalhar, e inclusive participar das ações de voluntariado da micro igreja, ajudando os pobres, desfavorecidos e mentalmente disabilitados.
  • Gabriel Lucius retornou a activa em Maurício, mas…. Parece que vai se divorciar da Dani?
  • O Padre Marcelo Araújo foi nomeado confessor oficial e Capelão Imperial, e já está ao dispor da ninfa, digo, Imperatriz, que, dizem, é moça de poucos pecados!
  • Que história é essa da Mamatriz baixar o santo no Glauco?  Eu hein!
  • Ruy Hallack está firme no comando das Força Armadas Imperiais, aprendendo lado a lado com o mestre das FAI, Laucimar da Cunha.
  • Cadê  A MORGANA?
  • Rafael Cresci, o Mum-Ha da Santa Igreja, garantiu que vai aparecer para mandar mensagens directamente de sua cripta, antes mesmo do II mega-encontro, ao qual comparecerá.


MENÇÃO HONROSA:

LUCIANO TRINDADE STON
E
Pelo trabalho FANTÁSTICO no ICRH


CONTACTO:

CONVÊNIOS:  Agência Reuniana de Notícias, Imprensa Livre, Cadastro Hbdomadário Actualizado e Notório do Departamento de Ordem Nacional, Jornaleiro, Listas Capitaniais.

ENDEREÇOS / CONTACTOS:

e-mail: ocometa@reuniao.org

correio-lesma macronacional:

Jornal O Cometa de Reunião
Caixa Postal Número 002
Agência Central dos Correios – Rio de Janeiro
                          RJ – BRASIL

AVISOS e INFORMAÇÕES ÚTEIS

Este periódico conta com licença do Ministério das Comunicações (antigo Comissariado da Informação) desde 16 de Dezembro de 1997, e já havia, desde Dezembro de 1996, a licença Imperial para circular dentro de O País!. A COMET ORGANIZATIONS INCORPORATED, atualmente JORNAL O COMETA LTDA. recebeu C.I.E. no dia 1o. de Setembro de 1997, estando devidamente autorizada de forma perene pelo Poder Moderador a “exercer quaisquer actividades que não sejam contrárias às normas constitucionais e aos decretos imperiais em vigor”.

Este Jornal não tem periodicidade determinada.

O Cometa não é, nem jamais foi ou será um veículo de comunicações oficial do Sacro Império de Reunião, não sendo, portanto, o governo imperial responsável pelo que for publicado neste espaço. Toda a responsabilidade é única e exclusivamente da pessoa jurídica JORNAL O COMETA LTDA., empresa de propriedade da MICROMUNDO EMPRESA JORNALÍSTICA REUNIÃ S/A, sucessora da MISTERY CORPORATION DE STRÁUSSIA LTDA.

A MICROMUNDO EMPRESA JORNALÍSTICA REUNIÃ S/A é detentora de TODOS os DIREITOS, de acordo com as leis do Império, relativos a textos publicados neste jornal. Sua utilização sem autorização da directoria do jornal é ilegal.

Se você NÃO quiser mais receber O COMETA em sua casa, mude de casa.

O COMETA aceita contribuições em forma de reportagens, artigos, análises, resenhas, poemas e quaisquer outros trabalhos escritos, porém reserva-se o direito de publicá-los na íntegra ou em partes, segundo suas necessidades.

O Jornal O COMETA pode publicar o seu anúncio, desde que ele não contenha imagens de qualquer gênero. Contacte-nos! < é política do Seu Jornal jamais publicar imagens >

Nosso jornal publicará uma seção de cartas e críticas sempre que estas chegarem, porém reserva-se o direito de incinerá-las ou mesmo rebatê-las de maneira mal-intencionada, tendenciosa e maleducada.

O Cometa não tem a intenção de ser imparcial; muito pelo contrário. Caso sinta-se ofendido com alguma matéria aqui inclusa, suicide-se.

O COMETA é marca registrada da MISTERY CORPORATION assim como os slogans “O Seu Jornal” e “Notícias de Amanhã. Hoje”. Todos os direitos reservados. Copyright 1997-2009

__._,_.__